Nancy Thame
Plantas e bem-estar

Por Nancy Thame

Nancy Thame

Crédito: Divulgação

Nancy Thame

O cultivo de plantas em nossas residências foi uma prática adotada com muito mais frequência em épocas passadas. Ali encontrávamos flores, plantas medicinais, pequenos arbustos e árvores, mudinhas trazidas de passeios e da área rural. Nosso jeito de viver mudou muito e, com a necessidade do aumento da renda familiar, o costume foi se perdendo, pois consideramos o tempo exigido para a atividade e não o bem-estar que ela gerava.
Quem diria que viveríamos estes tempos de resgate de vínculos? Que buscaríamos aprendizados do básico, relativo a nossa sobrevivência? Muitos de nós estamos sentindo de maneira mais forte a necessidade do equilíbrio, que vai muito além da economia, que é fundamental, mas que não anda sozinha. Sem dúvida, está vinculada fortemente às forças sociais, ambientais e culturais. Enfim, o equilíbrio.
O isolamento social, embora necessário, tem despertado sentimentos de angústia e de ociosidade em muitas pessoas. Estes sentimentos podem ser reduzidos com adoção de atividades simples, como o cultivo de plantas em pequenas áreas dentro de casa.
O cultivo de flores, hortaliças, condimentos, plantas aromáticas e medicinais são os mais procurados. No entanto, há uma infinidade de plantas, muitas delas ornamentais, que mudam os ambientes internos.
O segredo para ter plantas bonitas e saudáveis em casa é dar a elas condições próximas as de seu habitat natural, ou seja, pensar na composição da terra, na incidência de luz, na água e na nutrição. Plantas alegram qualquer ambiente, mas como todo ser vivo se ressente, perde o brilho e morre se não receber os cuidados necessários. Além de solo fértil e água, precisa de ventilação e luminosidade para crescer, florescer e frutificar.
No caso do cultivo em vasos, elas se adaptam melhor em recipientes de barro ou cerâmica por imitarem o solo, possibilitando que as raízes respirem mais. É necessário entender suas necessidades para a escolha do tamanho certo, uso da terra adequada, fazer as regas necessárias e uma boa drenagem (usar argila expandida com uma manta sobreposta no fundo do vaso).
Ao escolher o local, pode-se pensar em transformar o ambiente em um espaço contemplativo e que transmita bons fluidos. Visando o crescimento saudável das plantas, o ideal é optar por uma área próxima de janelas e que receba claridade. As áreas também não devem receber correntes de ar diretas de ventiladores para evitar que as plantam ressequem.
Quando cuidamos de plantas no dia a dia, distraímos e relaxamos a mente. Além de aromas benéficos, o simples fato de estar em um espaço verde bonito já é algo terapêutico. Isso porque, só de olhar para as plantas e flores coloridas, a nossa mente entra em um modo meditativo e mais relaxado. Manter a natureza perto da gente é essencial para o nosso bem-estar.