Últimas Notícias
NOVO CORONAVÍRUS
HFC: assinados aditivos de contrato de R$ 3,9 mi
Portaria habilita oito leitos de UTI para uso exclusivo de pacientes

Por Da Redação

Centro Cívico. Prefeito Barjas Negri (PSDB) e José Coral assinam os aditivos ao contrato

Crédito: Divulgação

Centro Cívico. Prefeito Barjas Negri (PSDB) e José Coral assinam os aditivos ao contrato

Terça-feira, 30 de junho de 2020
O prefeito Barjas Negri (PSDB) assinou, nesta segunda-feira (29), vários aditivos ao contrato com o Hospital dos Fornecedores de Cana (HFC) envolvendo R$ 3,9 milhões destinados especificamente ao combate à pandemia de Coronavírus. Os recursos, oriundos do Fundo Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde, visam ampliar a capacidade da Secretaria de Saúde de atendimento aos pacientes vitimados pela Covid-19 nos hospitais conveniados SUS. A Portaria 1.424/20 habilitou 8 leitos de UTI no HFC para uso exclusivo de pacientes com Covid-19, com valor, por diária de uso, de R$ 1,6 mil, cada leito.
O total de gasto estimado no período da pandemia é de R$ 1,152 milhão, que será repassado conforme faturamento mensal, auditado pelo Serviço de Avaliação e Controle (SAC), da Secretaria de Saúde. Todos os exames de diagnóstico da doença nos pacientes hospitalizados são realizados por Laboratórios Oficiais Credenciados.
O Auxílio Financeiro Emergencial (Portaria 1.393/20 e 1.448/20), montante aproximado de R$ 2,788 milhões, deve ser utilizado para despesas relacionadas ao enfrentamento da pandemia, tais como compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), equipamentos médicos, medicamentos e até contratação emergencial de pessoal, exclusivo para atuação durante a pandemia. A primeira parcela será de R$ 780.614,52 e a segunda, de R$ 2.007.729,44.
Para Barjas Negri (PSDB), "são recursos que fortalecem a estrutura hospitalar do município, fundamental nesta batalha contra a Covid-19. A superação dessa temida doença exige o trabalho conjunto dos hospitais da nossa Rede e o suporte do governos estadual e federal, como vem acontecendo".
O secretário de Saúde, Pedro Mello, disse que "os leitos de UTI são imprescindíveis em caso de agravamento da doença. Ter estrutura hospitalar com essa tecnologia é o que assegura um trabalho adequado na Unidades e reduz o risco de óbitos". A Prefeitura de Piracicaba assinou, também, aditivos de contrato com a Santa Casa, no valor R$ 4,4 milhões, nos mesmo moldes do HFC.