ITENS RECICLÁVEIS
Promotoria alerta sobre riscos a trabalhadores
A Empresa Ambiental informa que já tomou algumas providências

Por Adriana Ferezim

Trabalhadores reciclam materiais

Crédito: Arquivo/Gazeta de Piracicaba

Trabalhadores reciclam materiais

Terça-feira, 26 de maio de 2020
A promotora de Justiça Alexandra Facciolli Martins, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), enviou recomendação ao município de Piracicaba para que o trabalho dos catadores de material da Cooperativa do Reciclador Solidário seja executado com segurança, visando à saúde deles no processo de triagem e destinação dos resíduos. Campanha de orientação à população sobre como descartar os resíduos recicláveis de forma segura também foi indicado pela promotora.
Para isso, ela sugere prazo de 72 horas para que medidas sejam adotadas para evitar a exposição dos trabalhadores a riscos de contaminação. Caso não seja possível atender às recomendações, ela informa que as atividades da coleta seletiva poderão ser suspensas, com garantia de um pagamento de renda mínima para a subsistência dos catadores durante a interrupção, além da manutenção do custeio da Cooperativa.
Entre as recomendações, estão a realização de diagnóstico sobre a situação da Central de Triagem da Cooperativa, a disponibilização de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), álcool em gel 70% e sabonete líquido para os catadores. Alexandra sugere, também, medidas quanto à vacinação dos catadores, se possível realização de testes de Covid-19, porque ficam expostos ao novo Coronavírus e um auxílio financeiro mínimo para os catadores que sofrem com impacto da redução
De acordo com a promotora, as medidas são necessárias porque diversos estudos indicam que o novo Coronavírus pode persistir nas superfícies dos materiais recicláveis por algumas horas ou até vários dias.
"A recomendação envolve a necessidade de se fornecer orientações sobre os procedimentos e recomendações a serem observados no gerenciamento dos materiais recicláveis durante a pandemia, em especial no tocante aos cuidados com o uso, limpeza e desinfecção das instalações, dos equipamentos e dos veículos".
A realização de Campanhas de Comunicação, sobre os procedimentos corretos em relação à separação, ao acondicionamento, armazenamento e descarte do lixo, reforçando, sobretudo os esclarecimentos sobre os materiais recicláveis.
Cuidados realizados
Em resposta ao documento enviado pela promotora, a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), informou que os cooperados são obrigados a trabalhar com os EPIs, que eles não realizam a coleta nas residências e os dois caminhões da Cooperativa fazem a coleta de grandes geradores de resíduos, como supermercados e empresas. A coleta em hospitais e estabelecimentos de saúde pelos cooperados está suspensa.
No início do isolamento social a Cooperativa parou por 15 dias e retornou às atividades em Sistema de Rodízio. Os cooperados usam o transporte exclusivo para eles, pago pela Prefeitura, que já custeia aluguel, energia, água e outras despesas da Cooperativa. O gasto mensal é de R$ 97 mil.
"Sobre a realização de testes do Covid-19, os cooperados estão sendo orientados, mas se eles vão fazer ou não é uma decisão individual de cada cooperado. Todos são cadastrados e mais da metade deles já recebeu o auxílio emergencial do governo federal e a Prefeitura doou cestas básicas, o que será feito por três meses.
Com relação à informação para a população, a Sedema explicou que "só caberia se a Cooperativa fizesse a coleta porta a porta, mas esse serviço é feito pela Concessionária 'Piracicaba Ambiental'".