Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Praias e parques reabrem para passeios em Barcelona

Por AFP

Crédito:

Já abertas há dez dias para a prática de esportes na parte da manhã, as praias de Barcelona voltaram a receber, nesta quarta-feira (20), os transeuntes, graças a um novo relaxamento do confinamento imposto na cidade, muito afetada pela pandemia de coronavírus.

A segunda maior cidade da Espanha também reabriu parques, como o famoso Park Güell, obra do arquiteto catalão Antoni Gaudí e geralmente popular entre os turistas.

Como a capital Madri, Barcelona (nordeste) ainda não foi autorizada pelo governo central a entrar na primeira fase de desconfinamento, lançada em 11 de maio e que é uma realidade para 70% dos espanhóis.

Mas, enquanto a epidemia de coronavírus desacelera de forma acentuada no país, a prefeitura de Barcelona decidiu dar um pouco mais de liberdade aos moradores locais, permitindo que fossem às praias e parques para passeios a partir de hoje.

Desde 8 de maio, as praias estavam abertas apenas das 6h às 10h para a prática de esportes individuais (natação, remo, corrida...).

A partir de agora, elas também ficarão abertas das 6h às 20h para aqueles que desejarem fazer um passeio. Os parques ficarão abertos das 10h às 21h para caminhar ou praticar esportes.

Mas "nadar por lazer, tomar sol na praia ou praticar esportes em grupo continua estritamente proibido", recordou a polícia local no Twitter.

A reabertura total das praias do país deverá acontecer apenas na última fase do desconfinamento.

Uma mensagem repetida pelos alto-falantes instalados na praia, mas visivelmente ignorada por muitos. Vários casais pegando sol na praia ou tomando café na areia foram vistos por jornalistas da AFP na manhã desta quarta-feira.

E os poucos policiais patrulhando não fizeram muito para conter os infratores.

"Faz dois meses que eu não via o mar e propus a uma colega que viesse aqui por um momento para ver o mar antes de irmos trabalhar (...) Ouvir o som das ondas, andar um pouco na praia, eram coisas que me faziam muita falta", explicou Helena Prades, psicóloga de 43 anos, sentada na areia e usando máscara assim como sua colega.

A Espanha é um dos países mais afetados pela pandemia de coronavírus no mundo, com quase 28.000 mortes. Seu processo cauteloso de desconfinamento deve terminar no final de junho.

dbh-du/mg/sg/mr