Últimas Notícias
NOVA DATA
Festa das Nações de Piracicaba será em setembro
Estrutura dos anos anteriores do evento deve ser mantida

Por Da Redação

Solidariedade. Renda total da Festa das Nações vai beneficiar, neste ano, 20 Instituições Sociais de Piracicaba

Crédito: Adilson Silva

Solidariedade. Renda total da Festa das Nações vai beneficiar, neste ano, 20 Instituições Sociais de Piracicaba

Terça-feira, 26 de maio de 2020
A 37ª edição da Festa das Nações de Piracicaba, que estava marcada para junho, no Engenho Central, foi adiada por conta da pandemia do novo Coronavírus. A nova data é de 9 a 13 de setembro. A Festa das Nações é realizada pela Fenapi (Associação Cultural Festa das Nações de Piracicaba) e pela Casa do Bom Menino, com uma parte dos recursos oriundos da Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial da Cultura, e promovida pela Prefeitura, por meio do Fussp (Fundo Social de Solidariedade de Piracicaba), com organização da Secretaria Municipal de Governo e Desenvolvimento Econômico.
Este ano, a Festa vai beneficiar diretamente 20 Instituições Sociais de Piracicaba, que representam 17 Nações, que irão comandar 19 restaurantes, com pratos típicos. A novidade será a chegada de uma nova nação – a Suíça – comandada pela Escola de Mães 'Professora Branca Mota de Toledo Sachs'. A infraestrutura deve ser a mesma do ano passado, com tenda montada no grande pátio, além dos shows folclóricos.
De acordo com José Antonio de Godoy, vice-prefeito e secretário municipal de Governo, patrocinadores importantes já confirmaram sua participação. São eles: Arcellor, CJ do Brasil, Caterpillar, OJI Papéis, Embraplan, Chope Germânia, Unimed Piracicaba, Sicredi, Mirante, Elring Klinger, Grupo Pirasa, Revista Trinova e Rede Drogal.
“Temos de agradecer a essas empresas que, mesmo diante de um cenário preocupante por conta da pandemia do Coronavírus, mantiveram seu patrocínio. Sem essa ajuda, a Festa não se realiza. Esperamos, ainda, que novos parceiros se juntem a estes, já que as Instituições dependem da renda da festa para manter seus projetos sociais que auxiliam milhares de pessoas carentes”, ressaltou.
Ainda segundo Godoy, apesar de a Festa ser necessária para ajudar as Instituições, sua realização em setembro está condicionada ao cenário da pandemia. “A Administração Municipal, desde o início da pandemia, não tem medido esforços para combater a disseminação do vírus e diminuir os seus efeitos, seguindo os decretos do governo do Estado. Então, a festa somente acontecerá em setembro se for seguro para todos”, avisou.
A edição passada da Festa das Nações teve um público de 60 mil pessoas. Vinte e cinco Instituições Sociais do município, que atendem, aproximadamente, 14 mil pessoas, foram beneficiadas com a renda.
Voluntariado
Além dos patrocinadores, a Festa só se concretiza com o trabalhos dos voluntários. São cerca de sete mil a cada edição. “A Festa só se torna um sucesso graças a esses voluntários. Muitas dessas pessoas deixam compromissos pessoais e a família por dias para servirem o público da Festa das Nações. Neste ano atípico, mais do que nunca vamos precisar da dedicação dessas pessoas”, avaliou Sandra Negri, presidente do Fussp. O presidente da Fenapi, Fábio do Amaral Sanches, contou que o trabalho das Comissões da Festa está em andamento.
“A Festa foi adiada duas vezes, mas a expectativa é de que ela aconteça em setembro. O evento é muito importante para as Instituições, ainda mais agora, neste momento, quando muitas pessoas perderam seus empregos. Mas também estamos atentos aos Órgãos Governamentais e de Saúde porque precisamos garantir a segurança das pessoas. Mas a esperança é de que a Festa aconteça”, frisou.