EM PIRACICABA
Greve dos professores foi parcial, nesta terça-feira
Docentes da Rede Estadual protestam contra a Reforma da Previdência

Por Adriana Ferezim

Assembleia. Professores de Piracicaba participaram do ato em São Paulo (SP)

Crédito: Divulgação

Assembleia. Professores de Piracicaba participaram do ato em São Paulo (SP)

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2019
Teve início, nesta terça-feira (3), a greve dos professores contra a Reforma da Previdência, que ocorrerá sempre às terças-feiras, conforme definido em assembleia. A próxima paralisação será no dia 10. A subsede da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), de Piracicaba, informou que a adesão ao Movimento ocorreu na maioria das escolas, de forma parcial, na cidade. A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc) relatou que as aulas têm de terminar até o dia 16 de dezembro e que, nesta terça-feira, 99,9% dos professores estavam nas escolas lecionando.
Em Piracicaba, pais de alunos relataram que as escolas funcionaram e que alguns docentes não foram dar aulas, nesta terça-feira. Conforme a Apeoesp, a média de adesão em algumas Unidades foi maior.
A Secretaria relatou que a falta na Rede ocorre todos os dias e que seria preciso verificar as justificativas para avaliar quantos professores não foram por causa da greve ou por outros motivos, como médicos. “Na ausência de um professor, é chamado um substituto”, esclareceu a Seduc.
Um grupo de professores de Piracicaba foi a São Paulo (SP) participar da assembleia. O ato foi em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo, onde tramita a Proposta de Emenda à Constituição número 18/2019 e o Projeto de Lei Complementar 80/2019 do Executivo, da Reforma da Previdência dos Servidores Estaduais e do Plano de Carreira, respectivamente.