LESÃO CORPORAL
Dia de luta no Terminal Central de Integração
Mulher descontrolada partiu para cima de Guarda Civil

Por Marcelo Rocha

Entrevero no Terminal Central. Mulher entrou no TCI xingando a equipe da Guarda e acabou se atracando com uma GC

Crédito: Del Rodrigues

Entrevero no Terminal Central. Mulher entrou no TCI xingando a equipe da Guarda e acabou se atracando com uma GC

Terça-feira, 12 de novembro de 2019
Uma mulher de 35 anos de idade, que entrou descontrolada e xingando os Guardas Civis Municipais (GCM) que estavam de serviço no Terminal Central de Integração (TCI), entrou em luta com uma guarda que tentou contê-la e acalmá-la. A confusão ocorreu por volta das 13 horas de sábado (9) e foi relatada no Boletim de Ocorrência número 4.998/2019, no Plantão da Polícia Civil. O caso foi registrado como lesão corporal. As informações oficiais foram divulgadas nesta segunda-feira (11).
O documento policial narra que uma equipe de Guardas Civis estava no TCI quando adentrou, no local público, “uma moça alterada, aparentando estar embriagada”, gritando na direção dos policiais, dizendo que “eram todos lixo, vagabundos, desferindo ofensas aos mesmos”. Após uma tentativa de conter e acalmar a mulher, esta partiu para cima de uma Guarda Civil, “entrando ambas em luta corporal”, comunica o B.O. 
Em meio à confusão, uma dona de casa (qualificada como testemunha no B.O.) informou aos Agentes de Segurança que a mesma mulher havia agredido a filha de três anos de idade, dentro de um bar. Tal testemunha informou, em depoimento aos policiais, que esta não é a primeira vez que a mulher agride a filha pequena, e que ela teria presenciado outras agressões contra a criança.
A mulher indiciada (que reside no bairro Novo Horizonte) foi encaminhada ao Pronto-Socorro do bairro Vila Rezende, onde permaneceu em observação, “uma vez que se encontrava alterada e embriagada”, salienta o B.O. 
Já a criança foi entregue à avó materna, que, após a confusão, foi acionada pela polícia e informada sobre a briga envolvendo sua filha e a GC. ‘Foram solicitados exames de corpo de delito para a criança e para a GC, que ficou com escoriações no braço.