'LAVA JATO'
PGR mantém em GT procuradores de gestão anterior
Eles haviam pedido demissão coletiva de seus postos nos últimos dias

Por Agência BrasiI

O procurador-geral da República, Augusto Aras

Crédito: José Cruz/Agência Brasil

O procurador-geral da República, Augusto Aras

O procurador-geral da República, Augusto Aras, designou sete procuradores para atuarem no grupo de trabalho responsável pelos inquéritos da Operação 'Lava Jato' que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF). Entre os escolhidos, estão cinco que exerceram a mesma função na gestão da ex-procuradora-geral Raquel Dodge. Os cinco procuradores reintegrados ao GT haviam pedido demissão coletiva de seus postos nos últimos dias do mandato de Raquel Dodge, em setembro.
Na ocasião, eles disseram que o ato se deu por discordância pelo modo como ela conduziu a Operação, sem entrar em detalhes.
Entretanto, eles já haviam concordado em voltar para o GT da 'Lava Jato', conforme anunciado pelo procurador-geral da República interino, Alcides Martins, que ocupou o cargo por poucos dias. São eles Luana Vargas, Maria Clara Noleto, Hebert Mesquita, Victor Riccely e Alessandro Oliveira.
Além dos cinco, agora confirmados por Aras, integrará o grupo o procurador Leonardo Sampaio de Almeida. O coordenador do GT da 'Lava Jato' será José Adonis Callou de Araújo Sá, que ficará a cargo de fazer as sustentações orais na Segunda Turma do Supremo nos casos da Operação. A Portaria com as nomeações foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).
O GT da 'Lava Jato' na PGR tem como atribuição auxiliar o PGR nos casos que envolvam pessoas com foro privilegiado no Supremo, como parlamentares e ministros. Cabe aos membros do grupo realizar oitivas, participar da produção de provas, de audiências judiciais, requisitar documentos e informações, entre outras tarefas.