NOVAS BOLSAS
Cerca de 300 estudantes da 'Esalq' protestaram
Alunos da graduação e pós-graduação pediram esclarecimento sobre corte

Por Adriana Ferezim

Ato. Estudantes permaneceram em frente ao prédio principal por uma hora e 30 minutos

Crédito: Christiano Diehl Neto

Ato. Estudantes permaneceram em frente ao prédio principal por uma hora e 30 minutos

Quarta-feira, 11 de setembro de 2019
Estudantes da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) permaneceram por cerca de uma hora e 30 minutos, nesta terça-feira (10), na frente do prédio principal da universidade para protestar contra o corte de novas bolsas da Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) que seriam custeadas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), fundação do Ministério da Educação (MEC). 
Na Esalq, os cortes dessas Bolsas afetarão pesquisadores dos 18 Programas da Pós-Graduação da Universidade. De acordo com os participantes, cerca de 300 alunos estiveram no ato e assinaram um abaixo-assinado no qual solicitam um posicionamento da direção da Escola e dos professores sobre as medidas que serão adotadas com os cortes.
“As Bolsas que já estão em curso ainda estão sendo pagas e as pesquisas continuam. O corte atinge novas bolsas e muitas delas são estudos que têm uma sequência ou são levantamentos básicos que darão subsídio a novas pesquisas”, relatou uma aluna da Pós-Graduação que não teve o benefício cortado e pediu para não ser identificada.
Mobilização deve continuar
O protesto foi organizado, segundo ela, porque foram anunciados novos cortes na Capes pelo governo federal e, na última segunda-feira (9), houve uma reunião entre coordenadores da Esalq e a solução apontada é para que os estudantes tranquem as matrículas. “O prejuízo para a pesquisa é geral. A Esalq, que tem os melhores índices nacionais e internacionais, ainda é uma das menos afetadas, mas mesmo assim os cortes ocorreram”, comentou a estudante.
Tanto alunos da graduação quanto da Pós-Graduação deverão manter a mobilização, que, além do corte das Bolsas, questionam, ainda, a redução do Orçamento da universidade. “Vamos realizar assembleias até obtermos um posicionamento da direção da Esalq”, afirmou. 
Durante o ato, os estudantes seguraram uma faixa com a frase: “Esalq Contra os Cortes na Ciência”. Eles não souberam informar quantas Bolsas serão cortadas. A estudante estimou que seriam 179. A Assessoria de Imprensa da Esalq afirmou que, nesta quarta-feira (11), deverá emitir uma nota sobre o protesto e a reivindicação dos alunos.