EM PIRACICABA
Laudo médico aponta morte por febre maculosa
Três semanas antes de sentir-se mal, a vítima havia feito um piquenique

Por Adriana Ferezim

Carrapato estrela

Crédito: Mega Curiosidades

Carrapato estrela

Quarta-feira, 11 de setembro de 2019
A família de Jéssica Casarini, 27 anos de idade, que faleceu em agosto, recebeu, nesta terça-feira (10), o laudo que investigou e apontou a causa de sua morte: febre maculosa. Durante o período que passou mal e morreu, entre os dias 9 e 13 de agosto, buscou atendimento na UPA do bairro Vila Rezende por sete vezes, porque não melhorava dos sintomas.
Na Unidade, recebeu diagnóstico de suspeita de dengue. No dia 14, foi levada à Santa Casa, onde morreu. A febre maculosa é transmitida pelo carrapato estrela, hospedeiro principalmente das capivaras, que têm a bactéria causadora da doença. Uma prima de Jéssica, contou que três semanas antes de sentir-se mal, a vítima havia feito um piquenique.
“É um local que crianças costumam brincar, no Bongue. Com certeza ela não sabia sobre essa doença. Talvez, na UPA, ninguém perguntou a ela sobre ter estado em áreas de risco, porque recebeu o diagnóstico de suspeita de dengue”.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, neste ano, duas pessoas morreram na cidade por causa da febre maculosa. No ano passado, foi registrado um óbito. 
A Secretaria disse que existem procedimentos nas Unidades para identificar, preliminarmente, doenças a partir dos seus sintomas e que nesse levantamento “a paciente não informou qualquer contato com local sujeito à infestação de carrapato”. A Pasta relatou que mantém “campanha a respeito da febre maculosa e do perigo de permanecer principalmente nas margens dos Rios, Ribeirões e Córregos”.