MUNDIAL DE BASQUETE
França acaba com invencibilidade dos Estados Unidos
A seleção europeia avançou às semifinais ao derrotar os 'reis das quadras'

Por Estadão Conteúdo

Os franceses derrotaram os Estados Unidos por 89 a 79

Crédito: Ye Aung Thu/AFP

Os franceses derrotaram os Estados Unidos por 89 a 79

A França fez história no Mundial de Basquete Masculino, que está sendo realizado na China. Na cidade de Dongguan, a seleção europeia, comandada por Evan Fournier e Rudy Gobert, avançou às semifinais ao derrotar os Estados Unidos por 89 a 79, acabando com uma invencibilidade de 13 anos, ou 48 jogos, dos norte-americanos, que são os atuais tricampeões olímpicos e bi mundiais.
A última derrota dos Estados Unidos em quadra havia sido para a Grécia por 101 a 95, em 1º de setembro de 2006, em Saitama, nas semifinais do Mundial realizado no Japão. Desde então, os norte-americanos não perderam mais e conquistaram a medalha de ouro em três Jogos Olímpicos (Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016), além de dois títulos mundiais (Turquia-2010 e Espanha-2014).
Com um time formado por jogadores do segundo escalão da NBA, a missão dos Estados Unidos agora é evitar a pior campanha em um Mundial na história. O posto mais baixo obtido pelos norte-americanos foi em 2002, quando jogaram em casa, na cidade de Indianapolis, e ficaram em sexto - perderam a quinta colocação para a Espanha. Nesta quinta-feira, novamente em Dongguan, pegam a Sérvia no início da disputa pelo quinto lugar
A histórica vitória credencia a França para enfrentar a Argentina nas semifinais, em Pequim, nesta sexta-feira. E se a República Checa perder para a Austrália, também se garante ao lado da Espanha nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Do contrário, os checos pegam os espanhóis na outra semifinal e duelam, além da vaga na final, por um lugar na Olimpíada.
O cestinha do jogo foi o armador Donovan Mitchell, dos Estados Unidos, com 29 pontos. Maiores destaques franceses, Evan Fournier e Rudy Gobert fizeram 22 e 21, respectivamente. Com 18 pontos, Nando De Colo brilhou nos minutos finais com lances livres decisivos. Marcus Smart, com 11, pelos Estados Unidos, e Frank Ntilikina, com a mesma pontuação, também atingiram dígito duplo na partida.
Controlado pelos franceses por quase todos os 40 minutos, os Estados Unidos foram para o intervalo perdendo por seis pontos de vantagem (45 a 39). Reagiram na metade final do terceiro período para conseguirem uma liderança no placar em 72 a 65, mas permitiram a virada e saíram derrotados por 89 a 79.