VENDA DE CELULAR
Golpe pela internet com notas falsas
Piracicabana anunciou seu telefone em um site de Comércio Eletrônico

Por Marcelo Rocha

Notas de R$ 100,00 eram falsas. Estelionatário fecha compra de smartphone e paga com 11 notas falsificadas

Crédito: Christiano Diehl Neto

Notas de R$ 100,00 eram falsas. Estelionatário fecha compra de smartphone e paga com 11 notas falsificadas

Terça-feira, 13 de agosto de 2019
A venda de um aparelho iPhone 6, anunciado num famoso site de Comércio Eletrônico, transformou-se em um prejuízo de R$ 1,1 mil para uma piracicabana de 26 anos de idade. O golpista que adquiriu o smartphone usado fez a compra com notas falsas de R$ 100,00, e depois sumiu. Com a intenção de se desapegar de seu smartphone da Apple, a vítima postou no site um anúncio de venda do aparelho por R$ 1,3 mil. Um até então insuspeito comprador viu a oferta e telefonou para a vendedora, dizendo-se interessado no aparelho.
Durante a conversa, o homem deu uma "chorada" e ainda conseguiu um bom desconto. A vítima topou fazer a negociação por R$ 1,1 mil. Na sequência, o comprador sugeriu um encontro com a dona do celular, oportunidade na qual apresentaria um comprovante de depósito bancário referente à compra.
Contudo, a vítima não aceitou a forma de pagamento e informou que somente faria a transação em dinheiro vivo. O golpista não desistiu e manteve contato telefônico com a vítima. Em nova investida perguntou onde ela estaria e que iria ao referido local com o dinheiro em mãos, para efetuar a compra do iPhone 6, à vista.
Então, por volta das 16h30 da última sexta-feira (9), o estelionatário foi o trabalho da vítima e efetuou a compra mediante a entrega de 11 notas de R$ 100,00. Algum tempo depois, porém, a vítima consultou o contato do comprador e o mesmo já a havia bloqueado, gerando certa desconfiança na ex-proprietária do smartphone.
Depois, ao observar as notas que recebera, percebeu que as mesmas eram falsificadas. O caso de estelionato e furto foi comunicado à Polícia Civil na manhã do último sábado (10) e está registrado no Boletim de Ocorrência número 3.584/2019. As notas ilícitas foram apreendidas pela Polícia Civil.
.