MAIS DE 50 MORTES
Polícia prende, em flagrante, integrantes de milícia
Organização criminosa atuava em Itaboraí, no Grande Rio

Por Agência BrasiI

Polícia Civil

Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Polícia Civil

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí prendeu, em flagrante, Lucas Monteiro de Mendonça e Igor de Oliveira da Fonseca, integrantes de milícia que age com extrema crueldade na Região e é acusada de mais de 50 homicídios. Os dois foram presos acusados pelos crimes de extorsão e porte ilegal de arma de fogo. A milícia está sendo desarticulada desde a Operação 'Salvator', realizada no último dia 4 de julho.
Com esses dois, já são 45 presos até o momento. Um cemitério clandestino onde as vítimas da quadrilha eram enterradas também foi descoberto pela Polícia. De acordo com a delegacia, Lucas tem dois mandados de prisão, sendo um por tortura e outro por organização criminosa. Já Igor respondia pelo crime de organização criminosa. Eles foram encaminhados ao Sistema Prisional do Estado, já que estavam com a prisão preventiva decretada pela Justiça.
Organização criminosa
A organização criminosa é comandada por Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, que cumpre pena em um presídio federal, em Mossoró (RN), desde outubro de 2017. Curicica foi apontado como suspeito de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado.
Apontado como responsável por vários casos de homicídio, tortura, extorsão e desaparecimento de 50 pessoas, o grupo comandado por ele chegava a lucrar cerca de R$ 500 mil por mês ameaçando moradores e comerciantes de Itaboraí.