LIDERANÇA CONFIRMADA
Piracicaba: primeira no ranking de saneamento
Para elaborar o estudo, a entidade avaliou cinco indicadores

Por Adriana Ferezim

Estação de Tratamento 'Capim Fino'

Crédito: Christiano Diehl Neto

Estação de Tratamento 'Capim Fino'

Segunda-feira, 24 de junho de 2019
Piracicaba segue liderando o Ranking ABES da Universalização do Saneamento elaborado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES). A edição 2019 classifica a cidade com a pontuação máxima (500), a mesma também obtida por São Caetano do Sul (SP) e Rio Claro (SP). Em 2018, Piracicaba teve a mesma pontuação, como São Caetano do Sul (SP). Em 2017, primeira edição do ranking, Piracicaba já foi classificada na liderança, com 499,92 pontos.
Para elaborar o ranking, a entidade avaliou cinco indicadores: abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos (lixo), destinação correta de resíduos sólidos. Também analisa taxa de internações por doenças relacionadas ao Saneamento Ambiental inadequado e se a cidade tem Plano de Saneamento.
De acordo com a pontuação, o ranking classifica as cidades em quatro diferentes Categorias: 'Rumo à Universalização', quando a cidade obtém mais de 489 pontos; 'Compromisso com a Universalização', quando a pontuação fica entre 450 e 489; 'Empenho para Universalização' (de 200 a 449,99 pontos) e na Categoria 'Primeiros Passos para a Universalização' (abaixo de 200).
Estudo foi apresentado no 30º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. As cidades são divididas entre as de grande porte, que têm mais de 100 mil habitantes e as de pequeno e médio porte, com menos de 100 mil habitantes. De acordo com a ABES, 87% dos ranqueados são de pequeno e médio porte.
“Somente 85 municípios, entre todos os avaliados, estão na Categoria Máxima 'Rumo à Universalização'. Entre os de grande porte são 33 municípios, todos nas Regiões Sudeste e Sul, e 52 de pequeno e médio portes”. A base do estudo de 2019 é referente aos dados disponíveis no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2017, o mais atual. Em 2018, foram avaliadas informações de 2016 e, em 2017, de 2015.
“O ranking, edição 2019, reúne 1.868 municípios, representando 68% da população do País e mais de 33% dos municípios brasileiros que forneceram ao SNIS as informações para o cálculo de cada um dos cinco indicadores utilizados no estudo. As 27 Capitais Brasileiras estão presentes no ranking”, relatou o estudo. Na avaliação, Piracicaba atingiu 100% em todos os indicadores, inclusive com Plano de Saneamento.
“O estudo constatou que as Categorias com pontuações mais altas têm uma proporção maior de municípios com Plano Municipal de Saneamento Básico. O inverso também é verdadeiro: as Categorias com pontuações menores têm um menor percentual de municípios com este instrumento, o que demonstra a importância dos Planos para melhorar a gestão e a oferta de serviços”, informou a ABES.