EM PIRACICABA
Espetáculo 'Yayá' será apresentado no Sesc
A retirada de ingressos ocorrerá com uma hora de antecedência

Por Da Redação

Espetáculo. 'Yayá' mistura a história real de Sebastiana de Melo Freire, com fantasia do conto de fadas 'Sapatinhos Vermelhos'

Crédito: André Guisard

Espetáculo. 'Yayá' mistura a história real de Sebastiana de Melo Freire, com fantasia do conto de fadas 'Sapatinhos Vermelhos'

Quarta-feira, 12 de junho de 2019
Inserido na programação da Campanha de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa do Sesc Piracicaba, o espetáculo 'Yayá' será encenado nesta quarta-feira (12), às 14 horas, no Teatro da Unidade. A montagem retrata a alma feminina e discute a loucura como escape às fatalidades das tragédias humanas. O Grupo de Teatro 'Humanóide' fará uma conversa com o público após a apresentação, abordando a relação entre a história da peça e a campanha. A entrada é gratuita. A retirada de ingressos ocorrerá com uma hora de antecedência.
'Yayá' mistura a história real de Sebastiana de Melo Freire (1887-1961) com a fantasia do conto de fadas 'Sapatinhos Vermelhos'. Durante o espetáculo, conhecemos Dona Yayá, uma mulher que teve uma vida marcada por tragédias. Com a morte de seus familiares, herdou uma fortuna, mas logo sucumbiu a uma doença mental que a impediu de administrar ou usufruir de seus bens, tendo sido mantida reclusa por 42 anos. A direção é de Jefferson Machado.
Realizada anualmente desde 2015, a campanha do Sesc São Paulo reforça as ações do Dia Mundial de Conscientização da Violência à Pessoa Idosa, celebrado no 15 de junho, e destaca a urgência de se reconhecer e discutir as violências simbólica e psicológica, que, muitas vezes, se transforma em violência física, na medida em que acontece dentro das famílias, nas interações cotidianas e na estrutura de nossa sociedade.
Com o tema 'Respeitem as Nossas Histórias', a programação desta edição, que nas Unidades do Estado acontecerão até o dia 15 de junho, busca enfatizar a importância de se reconhecer e se respeitar as diferentes velhices, destacando que a imposição de uma forma única e estereotipada de envelhecer é uma das expressões da violência contra as pessoas com mais de 60 anos de idade. A programação completa pode ser acessada pelo site: www.sescsp.org.br/conscientizacaocontraviolencia