FUTEBOL FEMININO
Fifa e ONU Mulheres vo promover aes
Memorando de entendimento foi assinado

Por Agncia BrasiI

Trofu da Copa do Mundo de Futebol Feminino

Crdito: Ruben Sprich/Reuters

Trofu da Copa do Mundo de Futebol Feminino

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) e ONU 'Mulheres' estão juntas na Copa do Mundo da França com objetivo de tornar o futebol mais acessível a mulheres e meninas. Durante a competição, que começou no último dia 7, serão também divulgados conteúdos que promovam a igualdade de gênero.
O presidente da Fifa, Gianni Infantino, e a diretora-executiva da ONU 'Mulheres', Phumzile Mlambo-Ngcuka, assinaram um memorando de entendimento, no qual ficou definido que as duas Organizações trabalharão com autoridades públicas, organizações internacionais, setor privado e organizações de Mídia e Esportes. A assinatura ocorreu durante a Convenção da Fifa sobre Futebol Feminino, em Paris.
As ações abrangerão principalmente três importantes áreas: desenvolvimento de políticas, promoção e apoio de projetos sobre mudança cultural e o empoderamento, além da comunicação para aumentar o conhecimento sobre igualdade de gênero.
“As organizações pretendem cumprir esses objetivos usando personalidades conhecidas, como os atletas que fazem parte do grupo Lendas da Fifa ou são embaixadoras da Boa Vontade da ONU". Gianni Infantino disse, por meio de nota, que "este é um momento significativo para a Fifa, porque combina forças com a ONU Mulheres para realizar a igualdade de gênero para mulheres dentro e fora do campo."
Segundo ele, Fifa e ONU Mulheres vão "aumentar o conhecimento sobre o futebol feminino e seu impacto em termos de saúde, empoderamento e modelos positivos para mulheres e meninas em todo o mundo". 
A diretora-executiva da ONU, Phumzile Mlambo-Ngcuka, disse que a Agência está confiante que “essa parceria fará uma diferença real para a desigualdade de gênero, que existe atualmente em todos os esportes.” Para ela, o objetivo é acabar com essa desigualdade “sabendo que os benefícios são para todos”. (Com informações da ONU News)