Nancy Thame
Espada-de-São-Jorge

Por Nancy Thame

Nancy Thame

Crédito: Divulgação

Nancy Thame

Além de baixa manutenção, a espada-de-são-jorge apresenta a versatilidade de poder ser cultivada a pleno sol ou meia-sombra, em vasos ou em maciços e bordaduras. Também é pouco exigente quanto à fertilidade do solo e resistente à estiagem, ao frio e ao calor.
De origem africana, com ciclo de vida perene, esta planta é uma herbácea de muita resistência. No entanto, seu crescimento é um pouco lento. Com folhas extremamente ornamentais, estas se apresentam com coloração verde acinzentada ou variegada, com margens de coloração branco ou amarelada. Além da prima mais famosa, outras da mesma família, destacam-se pela beleza da forma, textura e coloração das folhas, como podemos observar nas fotos desta matéria.
No Brasil existem muitas lendas e crendices relacionadas às plantas. Elas contribuíram para que se reservassem até hoje certas superstições. A espada-de-são-jorge tem esta peculiaridade, pois por causa de suas folhas pontiagudas, que justificam seu nome popular, é facilmente associada ao poder de cortar as energias negativas. Alguns dizem que espanta os maus espíritos. Ao cortar as energias negativas atrairia coragem e prosperidade.
Nos Estados Unidos, especialmente a Nasa, tem indicado as plantas que realmente apresentam propriedades purificadoras de ambientes. A espada-de-são-jorge, por exemplo, funciona como uma purificadora, pois absorve formaldeídos liberados por madeiras, tecidos sintéticos e carpetes.
Seu nome se deve ao guerreiro originário da Capadócia e militar do Império Romano ao tempo do imperador Diocleciano, que se converteu ao cristianismo e não agüentou assistir calado às perseguições ordenadas pelo imperador. Foi morto na Palestina no dia 23 de abril de 303. Ele teria sido vítima da perseguição de Diocleciano, sendo torturado e decapitado em Nicomédia, tudo devido à sua fé cristã. Devotos no mundo inteiro comemoram no dia 23 de abril, o Dia de São Jorge, o santo padroeiro da Inglaterra, de Portugal, da Catalunha, dos soldados, dos escoteiros e também dos corintianos.
A verdade é que são vários os motivos que tornam esta planta tão procurada. Seja pela beleza, superstição, durabilidade ou facilidade no cultivo, ela vem embelezando nossos jardins e ambientes internos.
Outra curiosidade interessante é que devido à textura, torna-se uma das estrelas principais dos jardins para deficientes visuais. A "visão" táctil consegue detectar várias formas em suas espessas folhas. É o desenho da natureza para contemplar os que conseguem enxergar além da visão, presente proporcionado a todos nós. Basta querer enxergar!