RIO PIRACICABA
Arrastão Ecológico tirou latarias e até tambor
Estudantes atuaram na coleta do lixo do manancial

Por José Ricardo Ferreira

Ação estudantil. Os estudantes Marcos, Miguel, Kaique e professora Cristiane

Crédito: Antonio Trivelin

Ação estudantil. Os estudantes Marcos, Miguel, Kaique e professora Cristiane

Segunda-feira, 15 de abril de 2019
O Dia do Rio Piracicaba foi comemorado no último sábado (13), e foi uma oportunidade de aprendizado ecológico para colocar em prática o carinho e a defesa do manancial, nosso maior símbolo. A data contou com as presenças de dezenas de pessoas que participaram de inúmeras atividades, inclusive a realização do 25º Arrastão Ecológico e a Campanha 'Rio Vivo'. As atividades foram uma iniciativa da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), Secretaria de Ação Cultural e Turismo (SemacTur), Oscip 'Pira 21 – Piracicaba Realizando o Futuro', e do ambientalista José Carlos Masson.
A professora de Matemática e Ciências, Cristiane de Oliveira Cezar, da Escola Estadual 'Professor Manassés Ephrain Pereira', do bairro Monte Líbano, disse que a experiência foi bastante prática para ela e o grupo de 10 alunos presentes, no sábado, no Largo dos Pescadores, local do evento, que se estendeu das 8 horas ao meio-dia.
Cristiane disse que foi a primeira vez que levou os estudantes que puderam expor suas fotos dos trabalhos comunitários no bairro, inclusive distribuíram mudas de alface às pessoas. Ela e os alunos coletaram lixo seco das margens e até se surpreenderam com o volume encontrado.
A professora frisou que a experiência foca o protagonismo do estudante que saiu da teoria e foi para a prática. “Eles passam a ser agentes multiplicadores”, disse. O evento contou, ainda, com apoio de várias Instituições, como a Associação dos Pescadores Esportivos do Rio Piracicaba e Afluentes (Aperp), e Projetos Educativos.
José Carlos Masson estava satisfeito com mais um Arrastão Ecológico. Segundo ele, dez pequenos barcos participaram da limpeza nas águas. Masson disse que, a cada ano, o Rio expõe menos entulhos. Porém, até as 11h30 de sábado, os voluntários haviam recolhido alguns objetos curiosos como um paralama e um tambor vazio.
“Mas o Rio está limpo. É sinal de conscientização. Estou feliz em observar que a educação do povo está crescendo. A gente viu até patos do Mato Grosso aqui. A água está limpa”, ressaltou. O grupo navegaria por cerca de três quilômetros.
O evento contou com as presenças do prefeito Barjas Negri (PSDB), do secretário de Meio Ambiente, José Otávio Machado Menten, do vereador Pedro Kawai e demais autoridades. O prefeito e o secretário destacaram as importâncias turística e cultural do Rio, além do trabalho de Saneamento Básico que chega à toda população da cidade.
A limpeza do Rio, apontou a Sedema, teve como objetivo sensibilizar as pessoas sobre a quantidade e a diversidade de materiais que são descartados de forma irregular em diversas áreas da cidade, quer seja nas margens de rios, em terrenos baldios ou nas proximidades de estradas.