TRAGÉDIA EM SUZANO
Terceiro suspeito de massacre é ouvido e liberado
Adolescente, de 17 anos, era colega de classe de um dos atiradores

Por Agência BrasiI

A Polícia Militar esteve durante todo o tempo na Escola, alvo dos ataques

Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Polícia Militar esteve durante todo o tempo na Escola, alvo dos ataques

O adolescente, de 17 anos de idade, apontado pela Polícia Civil como terceiro suspeito de ter participado do planejamento das mortes na Escola Estadual 'Raul Brasil', em Suzano (Grande São Paulo), foi ouvido no Fórum de Suzano. Segundo informações do Tribunal de Justiça, o adolescente foi ouvido por representantes do Ministério Público por cerca de duas horas e liberado em seguida. Ele foi ouvido em uma oitiva informal, procedimento administrativo em que um adolescente suspeito de um delito é ouvido por um promotor de Justiça.
Segundo o Ministério Público, não foram constatados indícios suficientes e foram requisitadas diligências complementares por parte das autoridades policiais para, posteriormente, se for o caso, pedir a internação do adolescente, como determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
O delegado-geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, pediu à Vara da Infância e da Juventude a apreensão do adolescente, que era colega de classe de um dos dois atiradores e que teria, segundo a Polícia, ajudado no planejamento do crime e na compra de equipamentos utilizados. A apreensão do jovem foi autorizada pelo Tribunal de Justiça, além de buscas em seu endereço.
O ataque deixou 10 mortos, dos quais duas funcionárias da Escola, cinco alunos, um comerciante que era tio de um dos atiradores e os criminosos, que se mataram depois do ataque. Outros 11 feridos foram encaminhados a hospitais. Oito ainda continuam internados.