TRAGÉDIA EM SUZANO
Bispo pede paz em velório de vítimas de atentado
Pelo menos cinco mil pessoas passaram pelo local, segundo a Prefeitura

Por Agência BrasiI

Família, amigos e estudantes participam do funeral coletivo das vítimas mortas em um tiroteio na Escola 'Raul Brasil', em Suzano

Crédito: Ueslei Marcelino/Reuters

Família, amigos e estudantes participam do funeral coletivo das vítimas mortas em um tiroteio na Escola 'Raul Brasil', em Suzano

O bispo de Mogi das Cruzes, Dom Pedro Luiz Stringhini, fez um apelo para que as pessoas priorizem a paz, durante a celebração do ato ecumênico em homenagem às vítimas do atentado na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. A cerimônia ocorreu no ginásio onde estão sendo velados seis dos 10 mortos durante o tiroteio.
“A paz é fruto da justiça”, disse Dom Stringhini, diante do auditório cheio. Enquanto as famílias se despediam das vítimas em volta dos caixões, colocados no centro da quadra esportiva, uma fila de pessoas passava ininterruptamente para prestar as últimas homenagens. Um número significativo de pessoas também permanecia nas arquibancadas velando os mortos.
A Prefeitura de Suzano estimou que pelo menos cinco mil pessoas tenham passado pelo local. “A gente espera que as famílias se sintam reconfortadas com tamanha presença”, disse dom Stringhini diante da multidão. O bispo pediu que as pessoas se mantenham firmes para “construir a cultura da paz”, por mais que existam forças que empurrem a sociedade no sentido contrário.
“Por mais que os ventos sejam desfavoráveis, que tenhamos maus exemplos, inclusive as declarações que vem de cima, nosso caminho não será desviado. Não vamos acreditar que a violência vence”, disse durante o sermão.
Enterros
Os corpos começaram a deixar o ginásio rumo ao Cemitério São Sebastião, em cortejos a cada 30 minutos. Os enterros deveriam acabar no início da noite. Foram velados, no local, os corpos dos estudantes: Caio Oliveira, 15 anos de idade; Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos de idade; Kaio Lucas Costa Limeira, 15 anos de idade; e Samuel Melquiades, 16 anos de idade, além da coordenadora-pedagógica Marilena Ferreira Umezo, 59 anos de idade, e da funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos de idade.
O estudante Douglas Murilo Celestino, por motivos religiosos, está sendo velado em uma igreja da Assembleia de Deus. Jorge Antonio de Moraes, 51 anos de idade, dono da Locadora de onde os atiradores roubaram o carro utilizado na ação, e tio de um dos atiradores, também teve uma cerimônia em separado.