CÂMARA DE PIRACICABA
Colégio de Líderes define a linha de trabalho
Objetivo é valorizar as proposituras apresentadas pelos parlamentares

Por Rodrigo Alves/Imprensa/Câmara

Encontros, às quintas-feiras, serão às 14h30

Crédito: Sidney Júnior

Encontros, às quintas-feiras, serão às 14h30

Quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019
Quatro parlamentares que integram o Colégio de Líderes da Câmara de Vereadores de Piracicaba fizeram, na manhã desta terça-feira (19), a primeira reunião do ano, desde que seus nomes foram definidos pela Mesa Diretora. No encontro, eles discutiram o formato de trabalho e as matérias que vão para votação em plenário. As atribuições do Colégio de Líderes estão previstas no Regimento Interno do Legislativo.
A reunião deve ser realizada por proposta de qualquer um dos integrantes ou por iniciativa da Mesa Diretora. As deliberações devem ser feitas em reuniões ordinárias semanais e extraordinárias, quando convocadas por um terço de seus membros ou pelo presidente da Casa de Leis.
O Regimento estabelece que as reuniões ordinárias semanais devem ser fixadas na primeira reunião do Colégio, com data, horário e local pré-fixados. Em função destas exigências, os parlamentares definiram que os encontros serão sempre às 14h30 das quintas-feiras, na sala de reuniões da presidência da Câmara. Ainda pelo Regimento Interno, é função do vice-presidente da Câmara coordenar e intermediar com os demais membros da Mesa Diretora os trabalhos realizados pelo colégio de Líderes.
Segundo o vereador Pedro Kawai (PSDB), vice-presidente da Mesa Diretora na gestão 2019-2020, o colégio adotará como linha de trabalho a valorização das proposituras apresentadas pelos parlamentares.
"Ou seja, toda vez que um vereador trouxer um projeto, em vez de propormos emendas ou substitutivos, queremos que ele venha defender suas ideias para o Colégio. Essa é a grande deliberação da primeira reunião, pois a partir do momento que muitas emendas são apresentadas, corre-se se o risco de a ideia original do propositor ser descaracterizada".
Outra decisão é, para os casos que se fizerem necessários, serão feitos convites para que profissionais do Executivo participem das reuniões, como forma de sanar as dúvidas dos integrantes do Colégio, sejam secretários ou técnicos das pastas.
Para o vereador Lair Braga, do Bloco SD/PTB, a função da Comissão é também a de agilizar a votação dos projetos que estão parados. "A partir do que discutimos nas reuniões, é nossa responsabilidade dialogar com os colegas das bancadas, para aconteçam os melhores alinhamentos e tenhamos um consenso", opinou. "E, caso necessário, também é nossa competência fazer apontamentos ao Executivo sobre os projetos, algo que não deve recair somente à presidência da Câmara", completou.
Já Wagner Oliveira, o Wagnão, do MDB/PP/PHS/PRB, destacou que o Colégio vem para nortear as proposituras que seguem para a pauta da Ordem do Dia das reuniões ordinárias, realizadas sempre às segundas e às quintas-feiras. "Aqui temos a chance de antecipar muitas discussões antes de elas irem para votação no plenário. Com líderes dos partidos, devemos trabalhar pela articulação política e pela unificação dos discursos partidários", disse.
"É um espaço de discussão importante, para analisarmos os projetos prioritários para a cidade e o que deve seguir ou não para a votação. Para a população, é importante que a comissão desempenhe suas atividades de uma maneira célere", analisou a vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PPS). Ela representa o Bloco PPS/PSD.
Também faz parte do Colégio de Líderes o vereador Jonson Sarapu de Oliveira, o maestro Jonson, da bancada do PSDB, e o vereador Laércio Trevisan Júnior, do PR, que não estiveram presentes na primeira reunião. Ainda na composição, está prevista a participação do líder do governo, porém sem direito a voto. A liderança de governo será instituída mediante ofício, encaminhado pelo Chefe do Executivo ao presidente da Câmara de Vereadores, o que ainda não ocorreu.
Os trabalhos da primeira reunião do Colégio de Líderes foram acompanhados pelo diretor do Departamento de Assuntos Legislativos, Fábio Dionísio, que além de apresentar os projetos em tramitação aos vereadores, sanou dúvidas sobre o que prevê o Regimento Interno.