Paulo Coelho
Histórias sobre a velhice

Por Paulo Coelho

Paulo Coelho

Crédito: Niels Ackermann/Rezo

Paulo Coelho

Um guerreiro da luz, nunca tem pressa. O tempo trabalha a seu favor; ele aprende a dominar a impaciência, e evita gestos impensados. Andando devagar, nota a firmeza de seus passos. Sabe que participa de um momento decisivo da história da humanidade, e precisa mudar a si mesmo antes de transformar o mundo. Um guerreiro da luz nunca colhe o fruto enquanto ele ainda está verde, porque sabe que o tempo é seu aliado, e não seu inimigo.
Descobri um novo método
O velho caçador de raposas - considerado o melhor da região - resolveu finalmente se aposentar. Juntou seus pertences e resolveu partir em direção ao sul do país, onde o clima era mais ameno. Entretanto, antes que terminasse de empacotar suas coisas, recebeu a visita de um jovem.
- Quero aprender suas técnicas - disse o recém-chegado. - Em troca, compro a sua loja, a sua licença de caçador, e ainda pagarei por todos os segredos que o senhor conhece.
O velho concordou: assinaram o contrato, e ensinou ao rapaz tudo que sabia sobre o tema. Com o dinheiro recebido, comprou uma bela casa no Sul, onde passou o Inverno inteiro sem precisar preocupar-se em juntar lenha para calefação, já que o clima era muito agradável.
Na Primavera, sentiu saudades de sua aldeia, e resolveu voltar para ver os seus amigos. Lá chegando, cruzou no meio da rua com o jovem que, alguns meses antes, resolvera pagar uma fortuna por seus segredos.
- E então? - perguntou. - Como foi a temporada de caça?
- Não consegui pegar uma só raposa.
O velho ficou surpreso e confuso:
- Mas você seguiu meus conselhos?
Com os olhos fixos no chão, o rapaz respondeu:
- Bem, na verdade não segui. Achei que seus métodos estavam ultrapassados e terminei desenvolvendo - por mim mesmo - uma melhor maneira de caçar raposas.
Descobrindo o Amazonas
O jesuíta Anthony Mello nos conta a história de um homem que, depois de muito viver e muito viajar, voltou ao seu povo. Reuniu os amigos, e começou a discorrer sobre as maravilhas da Amazônia. Todos ficaram muito entusiasmados, e o explorador deixou com eles um mapa, sugerindo que visitassem o local.
Anos depois, voltou a sua terra, e viu o mapa emoldurado na Prefeitura. Um funcionário lhe disse:
- Isto é o Amazonas.
- Não , isto é um mapa do Amazonas! Vocês não foram visita-lo?
- Para que? - respondeu o funcionário. - Já estamos velhos, decoramos cada cachoeira, rio, montanha. Por que perder tempo indo até lá?
Ainda poderei crescer
Do livro de notas de Walt Whitman (1819-1892):
A minha alma crescerá sempre, mas mesmo assim,
nunca chegará até um lugar
onde não poderei segui-la.
Quando acordo de noite, e caminho pela praia,
quando olho para cima
e contemplo a infinidade de estrelas,
Pergunto à minha alma:
"Quando eu morrer, e você estiver lá e cima, puder estar presente em todo este Universo, estará satisfeita?"
E minha alma responde:
"Quando eu chegar lá, saberei que posso crescer ainda mais".