NOSSOS SENTIMENTOS
O adeus ao empresário Fred Mota Giannetti
Funeral ocorre em Belo Horizonte (MG); corpo será cremado

Por Adriana Ferezim

Adeus. Corpo de Fred Mota será cremado em Belo Horizonte (MG)

Crédito: Del Rodrigues

Adeus. Corpo de Fred Mota será cremado em Belo Horizonte (MG)

Sexta-feira, 11 de janeiro de 2019
A morte do empresário Frederico Mota Giannetti Pereira, 38 anos de idade, comoveu Piracicaba, nesta quinta-feira (10). Ele sofreu um acidente no município de Brumadinho, em Belo Horizonte (MG), na noite da última quarta-feira (9). Estava na Capital Mineira havia dois dias, a trabalho. Fred, como era chamado pelos familiares e amigos, era casado com Daniella Giannetti, administradora do ECPA (Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo). Fred era seu braço direito no empreendimento e atuava como empresário do setor de Comércio de Máquinas e Tratores.
O clube, que estava fechado e os funcionários em férias coletivas, seria reaberto nesta sexta-feira (11). De acordo com Dito Giannetti, pai de Daniella, não há previsão para nova data de reabertura. Ele ressaltou que a família está chocada e foi, na manhã desta quinta-feira, para o funeral realizado em Belo Horizonte. O corpo de Fred será cremado.
"A maior preocupação é com as crianças, a enteada da Daniella, de 14 anos de idade, e com os filhos deles, Pedro, oito anos de idade, João, seis anos de idade e Luiza, dois anos de idade. Ela está tentando ficar forte por eles, tentar minimizar essa dor para eles, mas é muito difícil", informou nesta quinta-feira, à Gazeta.
Dito explicou que os pais de Fred residem em Casa Branca, região da Serra do Rola Moça. "Toda vez que ele ia a trabalho em Belo Horizonte, ele ficava na casa dos pais, nessa localidade que passa pela serra. Como ele estava demorando a chegar, o pai decidiu acionar as autoridades e foi constatado o acidente. Até o momento não há informações sobre como ele caiu com o carro, uma picape S10, em uma ribanceira, de uma altura de 200 a 300 metros. Foi resgatado pelos bombeiros já sem vida", lamentou.
O Portal G1 de Minas Gerais informou que os bombeiros usaram torre de iluminação para poder descer pelo paredão até o veículo, num local de difícil acesso, e que a operação de resgate demorou três horas. "A equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) constatou a morte", relatou a notícia.