EM SANTA TERESINHA
Incêndio atinge galpão que abriga ônibus
Chamas consumiram cinco veículos

Por Adriana Ferezim

Incêndio no galpão em Santa Teresinha

Crédito: Del Rodrigues

Incêndio no galpão em Santa Teresinha

Sexta-feira, 11 de janeiro de 2019 
Falha humana. Essa é a conclusão dos bombeiros para o incêndio que destruiu cinco ônibus e um chassi que estavam sendo desmontados em um galpão localizado no distrito de Santa Terezinha, nesta quinta-feira (10). Parte do telhado do local desabou com as chamas. Ninguém ficou ferido. O fogo teve início no momento em que trabalhadores usavam equipamento de solda para separar peças dos ônibus, no início do turno da tarde, após o almoço.
"A causa mais provável foi que a chama do maçarico tenha atingido algum material inflamável do veículo ou ainda algum resto de combustível. Isso ainda será apurado. Não houve explosão", informou o tenente Hudson Humphreys, que atuou na Operação que contou, ao todo, com 12 bombeiros.
O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 13h40 desta quinta-feira. Segundo o tenente, os trabalhadores ainda tentaram controlar as chamas, mas não conseguiram e chamaram a corporação. O atendimento à ocorrência foi imediato, mas as chamas já tinham atingido todos os veículos que estava no galpão.
O trabalho para controlar o fogo durou cerca de uma hora e 30 minutos. Ainda por volta das 15 horas, novo trabalho de rescaldo foi realizado pelos bombeiros. Foram utilizados 20 mil litros de água e quatro veículos foram utilizados: auto-bomba, comando de água, resgate e apoio de água.
"Quando chegamos, percebemos que o telhado estava muito afetado. Quando caiu, felizmente, nenhum bombeiro estava mais na área e o fogo já havia reduzido", disse o tenente. O galpão, onde estavam os veículos e tem diversas peças e galões, tem medida 10 metros de largura e 60 metros de comprimento. A área onde o fogo começou fica nos fundos.
O terreno fica ao lado do rio Corumbataí e nele estão depositados 78 veículos e seis chassis, que pertenciam às empresas de ônibus Viação Noivacolinense (Vinco), Pauliceia e Viação Panorâmica (Vipa) que deixaram de atuar em 2011, na cidade. Há seis anos, a Justiça Federal penhorou 75 ônibus e o leilão foi realizado há cerca de seis meses.
Desde o final de 2013, os ônibus estavam nessa área locada pelas empresas em Santa Teresinha, aguardando o leilão. O proprietário do terreno, Luiz Antonio Fagundes, lamentou a demora da Justiça na realização do mesmo. "Quando esses ônibus pararam, ainda tinham condições de circular. Mas por causa da morosidade, acabaram virando sucata", lamentou.
De acordo com Carlos Fernandes, sócio-proprietário das empresas de ônibus, todos os 78 veículos forma fabricados entre 1989 e 2004. Foram arrematados pela empresa que estava desmontando os ônibus. "A empresa que venceu o leilão pediu autorização do proprietário para fazer o desmanche das peças aqui mesmo", disse. Nenhum dos funcionários da empresa que arrematou os veículos falou com a imprensa.