LIVRO BENEFICENTE
Receitas e humor em obra de Persio Azenha Faber
Toda a sua renda da publicação será revertida para a Colibri

Por Marcelo Rocha

O cirurgião buco-maxilo-facial (autor do livro) e a presidente da Associação Brasil Parkinson Núcleo Piracicaba

Crédito: Antonio Trivelin

O cirurgião buco-maxilo-facial (autor do livro) e a presidente da Associação Brasil Parkinson Núcleo Piracicaba

Quinta-feira, 6 de dezembro de 2018
A habilidade para contar piadas, somada a certos dotes culinários e a vontade de ajudar a Associação Brasil Parkinson Núcleo Piracicaba (Colibri) na captação de recursos. Desta combinação, nasceu o livro "Rir é a Melhor Receita Para Viver Bem", de autoria de Persio Azenha Faber, cirurgião buco-maxilo-facial que, há 10 anos, foi diagnosticado com a doença de Parkinson. A obra (tiragem de mil exemplares) é vendida a R$ 15,00 e toda a sua renda será revertida para a Colibri, entidade que atende cerca de 40 parkinsonianos. Seu lançamento foi em novembro, na Regional da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD), em Piracicaba.
"Sempre escrevi, mas nunca publiquei nada, a não ser artigos científicos. Neste livro, juntamos receitas com o bom humor. Cada receita vem acompanhada de uma piada", disse o autor, de 73 anos de idade que é associado à Colibri.
No cardápio, há receitas de preparo pratos como, por exemplo, camarões ao cassis, gnocchi ao queijo gorgonzola, risoto de carne seca com pistache, arroz com amêndoas e damasco, linguiças flambadas na cachaça e o filé gambá, que apesar do nome é feito com cubinhos de filé mignon.
"O nome é porque o prato tem três cores, assim como o gambá", explica Faber. "Todas essas receitas estão testadas por mim. Quando tem reunião de amigos em casa, normalmente sou eu que cozinho". E no rol das piadas, há homenagens à sogra, ao amigo português, a pescadores, políticos, histórias do Joãozinho, de papagaio, do mineirinho, de bêbados e de outros personagens que frequentam o anedotário brasileiro.
"Se as empresas quiserem, por exemplo, dar o livro como presente de Natal para seus empregados, é só nos procurar", disse Silvia Helena Rogoldi Simões, presidente da Associação Brasil Parkinson Núcleo Piracicaba (Colibri), também diagnosticada com a doença. Ela assina o prefácio e foi a revisora da publicação.
Faber contou que após o diagnóstico da doença parou de trabalhar "de um dia para o outro", porque sua profissão exige um alto grau de precisão. "Foi um baque, logo aluguei meu consultório que dividia com um colega", recordou o autor, que então passou a conviver com sintomas como a micrografia (diminuição da letra cursiva), a perda gradual do olfato, a lentidão dos movimentos e os tremores.
"Sou mestre em Cirurgia e Traumatologia de Face, mas parei de exercer a profissão porque a doença causa o tremor. A gente fica tolhido, mas foi uma providência que tive que tomar", afirmou Faber, que eventualmente ainda dá Assessoria e Consultoria especializada em sua área.
A Colibri foi fundada em 1992. Suas atividades incluem sessões de Fisioterapia, Musicoterapia, Fonoaudiologia, Acompanhamento Psicológico, Atividades de Dança, Artesanato, Pintura e Música (o Coral 'Tremendas Vozes'), entre outras ações. "Nossas atividades vão nessa linha do prazer de viver", observou a presidente da entidade.
"A missão da Colibri é tentar buscar qualidade de vida para nossos associados, propor novas descobertas e recomeços. Porque a primeira tendência do parkinsoniano é o isolamento, porque ele sente vergonha da tremedeira, de ir a locais públicos. O nosso trabalho principal é combater isso", salientou Silvia.
Pontos de venda
O livro está à venda nos seguintes locais: Banca Expresso (esquina das ruas Luiz Rasera e Góes Monteiro, no bairro Jardim Elite); Samapi Cirúrgica (rua Santa Cruz, 212, Bairro Alto); Supermercado Superbom (rua Doutor Antônio Augusto Barros Penteado, 363, bairro Jardim Elite); restaurante Pintado na Brasa (rua Bom Jesus, 1.683, Bairro Alto). A obra também pode ser solicitada pelos telefones (19) 3426-0787 (com Silvia) e (19) 3421-0971 (com Maria Lúcia).