PENTE-FINO
As contas instáveis
Clube se livrou da dívida que poderia rebaixá-lo, mas tem problemas

Por José Ricardo Ferreira

O XV na disputa do Campeonato Paulista da Série A-2 esse ano

Crédito: Del Rodrigues

O XV na disputa do Campeonato Paulista da Série A-2 esse ano

Quarta-feira, 16 de maio de 2018
Embora o XV de Piracicaba tenha quitado a dívida com o clube búlgaro Ludogorets, a operação para quitá-la obrigou o clube a fazer empréstimos. O anúncio se deu na última segunda-feira (14), e foram pagos ao time europeu cerca de R$ 386 mil. Ao longo de seis anos, porém, a bagatela de gastos com o “caso Paulinho” chega a aproximadamente R$ 607 mil, segundo a diretoria do Alvinegro.
O ex-atacante do XV não cumpriu o contrato, em 2012, com o Ludogorets, e voltou para o Brasil. O clube entrou com pedido de ressarcimento na Fifa, que lhe deu ganho de causa em abril desse ano. Caso o XV não quitasse a dívida, seria automaticamente rebaixado para a Série A-3, de 2019, pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).
O presidente do XV, Celso Christofoletti, disse que não foi apenas um empresário que emprestou os recursos para o XV. “Reunimos várias pessoas que nos ajudaram”, disse o dirigente. De acordo com ele, a primeira parcela de um dos credores vencerá no dia 30 de junho. “Alguns nos emprestaram para pagamento longo, lógico que com juros de mercado. Ninguém iria emprestar sem juros. Mas menor do que juros de banco”, frisou.
Celso tem a preocupação, com isso, de precisar pagar essas novas dívidas e ainda, nesse caso, a curto prazo, a pensar no orçamento para a Copa Paulista, que começará em agosto. “Também o orçamento para a Série A-2 do ano que vem. Precisamos do apoio de todos que dizem que gostam do XV. Estamos atrás de parcerias para a Copa Paulista. É como a maioria dos clubes que têm parcerias na Copa Paulista, na A-2, na A-3 e na A-1, também estamos atrás de parcerias”, declarou.
No ano passado, o déficit orçamentário do clube foi de R$ 858 mil, segundo balanço oficial. O presidente espera que as parcerias aconteçam pois ao contrário será muito difícil esperar algum resultado positivo na Copinha ou na A-2. Celso reconhece que o buraco orçamentário aumenta a cada temporada, mesmo com uma gestão de austeridade financeira.
Ele falou que o XV busca patrocinadores 24 horas por dia. Para ele, a Economia está caminhando, mas as empresas deixam o investimento para o futebol como última prioridade. Ele disse que em outubro tem reuniões agendadas com grandes empresas piracicabanas e a esperança é que tudo dê certo.
De acordo com o dirigente, as empresas se organizam e só conversam quando estiverem com seus projetos financeiros traçados para o ano seguinte. São diretrizes que muitas vezes vêm das filiais de outros países.
Ele lamentou o problema do “caso Paulinho” pois obrigou o XV a contrair dívidas e antecipar R$ 130 mil da Federação Paulista de Futebol. Isso significou que a cota de 2019 para a Série A-2 estará prejudicada. “Estamos diariamente buscando patrocínios”, repetiu. O XV só voltará a jogar em agosto, quando está previsto o início da Copa Paulista.
Celso evita falar sobre reeleição
Em novembro, o XV de Piracicaba passará por novas eleições. O atual presidente, Celso Christofoletti, disse que, nesse momento, não está preocupado com uma possível candidatura à reeleição. “Penso em problemas mais prioritários do que esse (eleição) agora”, declarou. Celso frisou que “não vive do XV (financeiramente)”. Então evita falar em candidatura à reeleição tão cedo porque pode surgir situações profissionais que obriguem a deixar o clube.
Renato Bonfiglio, ex-diretor de futebol, está nos planos de Celso. O dirigente lembrou que em 2015 o time disputou as quartas-de-final do Paulistão, sob a direção de Rodrigo Boaventura e Bonfiglio, mas os torcedores só se recordam da queda para a A-2 em 2016. Bonfiglio pode voltar a hora que quiser ao clube, segundo Celso.
O ex-diretor ajudou muito o XV, segundo Celso. Bonfiglio, em entrevista à Gazeta, disse que não tem planos para concorrer às eleições. À Jovem Pan News Piracicaba 910, ele disse abriu a possibilidade de voltar a ser diretor. Na mesma rádio, nesta terça-feira, o ex-presidente, Luís Beltrame, rechaçou a possibilidade de disputar as eleições.