ENEM DE 2018
Segurança da prova é a principal preocupação do MEC
Há, segundo o governo, o acompanhamento de várias instituições

Por Agência Brasil

O ministro da Educação, Rossieli Soares

Crédito: Luis Macedo

O ministro da Educação, Rossieli Soares

O ministro da Educação, Rossieli Soares, garantiu que a principal preocupação do governo federal em relação à realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é para com a segurança e o sigilo das provas. Soares lembrou que este ano o formato de Enem terá poucas mudanças, com as provas sendo realizadas em dois finais de semana para dar maior tranquilidade aos alunos.
De acordo com o ministro, a preocupação maior é com a segurança. “O sigilo da prova, no caso do Enem, é muito importante. Nós temos acompanhamento de várias instituições, temos apoio da Polícia Federal e vamos nos reunir com a Secretaria de Segurança. Portanto, todos os mecanismos de segurança estão sendo mantidos e, inclusive, sendo ampliados”.
Gestão curta
O ministro disse que na sua gestão o principal será a continuidade das políticas traçadas. “O foco do Ministério será a de dar continuidade às políticas que vêm sendo apresentadas, como por exemplo a discussão da Base Nacional Comum do Ensino Médio, já entregue e em discussão no âmbito do Conselho Nacional de Educação; a Base Nacional do Ensino Fundamental e a Educação Infantil aprovado no final do ano e que está em fase de implementação em todos os municípios e estados brasileiros”.
Rossieli Soares defendeu a eficiência nos gastos para com a Educação. “Isso precisa ser uma obsessão do País, fazer mais com menos, seja na base, seja no Ministério, nas escolas, ou nas Secretarias Municipais e Estaduais. Temos condições de melhorias e nós vamos buscar essa melhora da eficiência”.
Instituto
O ministro da Educação visitou o Instituto Benjamin Constant, instituição federal referência na Educação e no tratamento de pessoas com deficiência visual, onde discutiu detalhes de um convênio com o Sistema Único de Saúde (SUS) para a realização de cirurgias de catarata.
“Fizemos um grande mutirão com cerca de 200 cirurgias realizadas com a participação do instituto e de outras instituições que apoiaram a iniciativa, e teremos nos próximos dias reuniões para continuar auxiliando a estruturação de cirurgias no Instituto”.