SEM COMÉRCIO
Associação defende restrições a bairro
Moradores apresentaram sugestão ao Plano Diretor de Desenvolvimento

Por Adriana Ferezim

Vista aérea do bairro Cidade Jardim

Crédito: Christiano Diehl Neto

Prolongamento da Cidade Jardim e o Jardim Europa podem contar com 200 residências

Terça-feira, 13 de março de 2018
Para que os Loteamentos 'Prolongamento Cidade Jardim' e 'Jardim Europa' permaneçam residenciais, com restrições oficiais conforme registro da matrícula do bairro em Cartório, a Associação dos Moradores da avenida Carlos Botelho e Bairros Adjacentes (Amcaba) protocolou, no Instituto de Pesquisa e Planejamento de Piracicaba (Ipplap), essa sugestão ao Plano Diretor de Desenvolvimento, que está em revisão.
O presidente, Leonardo Bombo Biazon, e o vice-presidente José Luis Monis, da entidade, estiveram na Gazeta para apresentar a proposta e esclarecer os motivos que move a Associação e seus cerca de 40 integrantes a defender que o bairro não seja indicado para área comercial e que seja mantida também restrição para construção de edifícios.
"O bairro é bem arborizado. Originalmente, as residências não tinham muros, as ruas foram projetadas em um conceito urbanístico para restringir o tráfego de veículos e permitir áreas verdes. Por isso, seu uso deve ser exclusivamente habitacional", afirmou Biazon.
Para eles, essa região é um patrimônio da cidade e um local ideal para pessoas que gostam de residir em bairro. "Muitas pessoas não querem morar em condomínios mais distantes. E, com relação ao comércio, já contamos no entorno do bairro com uma grande variedade de Comércio, o que reforça que essa área não deve ser modificada como interesse comercial", argumentou.
Representantes da entidade já participaram da primeira audiência pública da renovação do Plano Diretor e também da primeira oficina preparatória. "Vamos estar presentes em todas as oficinas e nos locais para defender a nossa posição com relação a manter esse bairro estritamente residencial", comentou.
O bairro começou a ser loteado nos anos 1950. "Naquela época, o contrato inicial de compra e venda era de palavra e era acordado entre os compradores que as casas não teriam muros e nem cães", comentou Monis, que acredita que o Prolongamento da Cidade Jardim e Jardim Europa contem com cerca de 200 residências.
Segurança
Segundo Biazon, os moradores se uniram para trazer mais segurança ao local com o 'Vizinhança Solidária', projeto da Polícia Militar, e outras medidas também estão sendo analisadas na Associação.
"Estamos viabilizando um sistema chamado City Câmara, que já está sendo usado em São Paulo de compartilhamento de imagens de câmeras entre os moradores e autoridades policiais, que pode até ser ampliado para outras regiões de Piracicaba", afirmou.