VOLUME DE VENDAS
Comércio varejista fecha 2017 com alta de 2%
Destaques para Móveis, Eletrodomésticos, Tecidos e Vestuário

Por Agência Brasil

Alta do comércio varejista no ano passado veio depois de duas quedas consecutivas

Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Alta do comércio varejista no ano passado veio depois de duas quedas consecutivas

O volume de vendas do Comércio Varejista brasileiro teve aumento de 2% em 2017, na comparação com o ano anterior. O dado, da Pesquisa Mensal do Comércio, foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta veio depois de duas quedas consecutivas: em 2015 (-4,3%) e em 2016 (-6,2%).
Três dos oito segmentos pesquisados pelo IBGE fecharam o ano em alta, com destaque para Móveis e Eletrodomésticos (9,5%) e para Tecidos, Vestuário e Calçados (7,6%). Também tiveram crescimento os setores de Artigos Farmacêuticos, Médicos e Perfumaria (2,5%), Outros Artigos de Uso Pessoal e Doméstico (2,1%) e Supermercados e Produtos Alimentícios (1,4%).
Por outro lado, três segmentos tiveram queda em 2017: Combustíveis e Lubrificantes (-3,3%), Livros, Jornais, Revistas e Papelaria (-4,2%) e Equipamentos e Materiais para Escritório, Informática e Comunicação (-3,1%).
Analisando-se o varejo ampliado, que inclui também os segmentos de Veículos e Peças e de Materiais de Construção, a alta chegou a 4%. Os Materiais de Construção tiveram avanço de 9,2%, enquanto os veículos, peças e partes cresceram 2,7% no ano.
Na comparação de dezembro de 2017 com o mesmo mês de 2016, o volume de vendas do varejo cresceu 3,3%, enquanto o do varejo ampliado avançou 6,4%. Na comparação de dezembro com novembro de 2017, no entanto, houve quedas de 1,5% no varejo e de 0,8% no varejo ampliado.
Receita nominal
A receita nominal do comércio varejista cresceu 2,2% no ano, enquanto a do varejo ampliado aumentou 3,6%. Na comparação de dezembro de 2017 com dezembro de 2016, a receita avançou 2,6% no varejo e 4,8% no varejo ampliado. Na passagem de novembro para dezembro de 2017, a receita recuou 2,2% no varejo e 0,7% no varejo ampliado.