DO FLA À COLÔMBIA
Reinaldo Rueda nega ter errado em negociação
Agora, o técnico terá a tarefa de reerguer a seleção chilena

Por Estadão Conteúdo

Técnico Reinaldo Rueda garantiu ter agido corretamente

Crédito: Divulgação

Técnico Reinaldo Rueda garantiu ter agido corretamente

O técnico Reinaldo Rueda garantiu ter agido corretamente na negociação que o tirou do Flamengo e o levou à seleção chilena. Ele entoou a fala do presidente rubro-negro, Eduardo Bandeira de Mello, e negou que tenha sido prejudicial ao clube ao demorar para definir seu futuro após o fim da última temporada.
Rueda garantiu que foi honesto com a diretoria flamenguista e que não tinha firmado qualquer acerto com o Chile, quando sua saída foi oficializada. "Estou tranquilo. Na situação em que estava, não tinha nada definido, então não tinha nada para resolver antes", disse à Fox Sports.
O fato é que a demora do colombiano para resolver sua situação foi de encontro ao planejamento do Flamengo, que precisou improvisar. Paulo César Carpegiani, que a princípio chegaria apenas para ocupar um cargo diretivo, foi convencido a também aceitar a posição de técnico. Um novo nome, no entanto, pode aparecer em breve.
Independente desta situação, Rueda explanou seu carinho pelo Flamengo e pelo Rio de Janeiro. Foram quatro meses de trabalho para o colombiano, que alternou bons e maus momentos e levou o time rubro-negro aos vice-campeonatos da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana, além da sexta colocação no Brasileirão.
"Sou muito, muito agradecido ao Flamengo, aos jogadores, à torcida e à diretoria por esses quatro meses, que foram fantásticos. Foi muito difícil a decisão, porque fico com muita saudades do Flamengo, do Rio. Então, fico muito agradecido pela hospitalidade, por tudo que me trouxeram. Creio que o time merece o melhor, pelos jogadores, por sua qualidade humana, nobreza, e também pela torcida. Que o Flamengo tenha o êxito que buscávamos com nosso projeto", comentou.
Agora, Rueda terá a tarefa de reerguer a seleção chilena, que, apesar dos títulos das edições de 2015 e 2016 da Copa América - os dois primeiros de sua história -, sofreu a dura decepção de ficar de fora da Copa do Mundo deste ano, na Rússia.
A expectativa do treinador e da Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile (ANFP) é recolocar a seleção no Mundial em 2022, no Catar. "É um grande desafio, uma grande seleção com trajetória internacional. Com o nosso trabalho, vamos tentar colocar o Chile na Copa do Mundo do Catar", projetou o colombiano.