TETO HOSPITALAR
Saúde: Vereadores conversaram com o secretário
Eles trataram sobre o aumento, em R$ 10 milhões, do repasse

Por Da Redação

Mello, Kawai e Rotta se reuniram para discutir o atendimento dos serviços de Saúde

Crédito: Câmara de Vereadores

Mello, Kawai e Rotta se reuniram para discutir o atendimento dos serviços de Saúde

Quarta-feira, 11 de outubro de 2017
Os vereadores Gilmar Rotta (PMDB) e Pedro Kawai (PSDB) se reuniram com o secretário municipal de Saúde, Pedro Mello, para buscar mais detalhes a respeito da situação do atendimento dos serviços de Saúde à população em Piracicaba. Presidentes da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento e da Comissão Permanente de Saúde da Câmara, respectivamente, eles trataram sobre o aumento, em R$ 10 milhões, do repasse do teto hospitalar feito ao município pelo Ministério da Saúde.
Eles lideram a Frente Parlamentar Regional Pró-Saúde proposta que tem como meta unir as Câmaras e Prefeituras das 26 cidades da região por mais recursos para a saúde e melhora dos serviços oferecidos à população. A iniciativa foi indicada pelo presidente da Câmara, Matheus Erler (PTB), após a crise instalada no Executivo com o cancelamento da realização das cirurgias eletivas pela Santa Casa.
A Prefeitura estaria devendo ao hospital R$ 16 milhões por atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), chamado extrateto, porque superam a quantidade e valores contratados entre a unidade e a Prefeitura.
“Foi uma conversa para buscar um levantamento de dados a respeito da situação fiscal da Saúde do município”, disse Rotta, autor da moção de apelo que trata sobre a ampliação do repasse do Ministério da Saúde a Piracicaba. “Aproveitamos a oportunidade para questionar sobre as negociações entre a Prefeitura e a Santa Casa, que parou de realizar cirurgias eletivas”, disse.
Kawai disse que a reunião foi muito promissora e acredita que com um trabalho cada vez mais fortalecido será possível sensibilizar o governo federal quanto à necessidade do repasse do teto hospitalar, já que a cidade atende usuários do SUS de outras 25 cidades. “A expectativa é boa, porque estamos buscando forças em vários municípios, isso fortalece o movimento e acaba sendo um ânimo para a gente”, ressalta.