CARTÓRIOS ELEITORAIS
Eleitores: 14% fizeram o cadastro biométrico
Dos cerca de 283 mil eleitores da cidade, somente 40 mil procuraram

Por Marcelo Rocha

José Antônio Capelli observa que o Cadastro Eletrônico vai evitar fraudes

Crédito: Antonio Trivelin

José Antônio Capelli observa que o Cadastro Eletrônico vai evitar fraudes

Apenas 14% dos eleitores piracicabanos realizaram, até o momento, o Cadastro Biométrico. Dos cerca de 283 mil eleitores da cidade, somente 40 mil procuraram os dois Cartórios Eleitorais do município para efetuar a coleta das impressões digitais (dos 10 dedos), fotografia, assinatura e atualização dos dados pessoais. 
Desde agosto de 2015, o Cadastro Biométrico está sendo realizado nos Cartórios da 93ª Zona Eleitoral e da 270ª Zona Eleitoral, mediante agendamento prévio no site: www.tre-sp.jus.br.
“Estamos longe da meta. Mas para a próxima eleição, em 2018, ainda não será obrigatório o cadastramento. Então, por enquanto, está tranquilo. Mesmo assim, a gente pede que as pessoas se programem e não deixem tudo para a última hora, até porque não temos condições de atender todo esse universo de eleitores em um período curto”, enfatiza José Antônio Capelli, chefe do Cartório da 93ª Zona Eleitoral (ZE).
De acordo com Capelli, juntos os dois Cartórios Eleitorais da cidade realizam uma média de dois mil recadastramentos por mês. A meta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é cadastrar todos os eleitores do País até 2022. “O Cadastro Eletrônico vai evitar fraudes e agilizar o processo de votação, e o eleitor não precisará mais assinar o caderno de votação”, observa Capelli.
Segundo levantamento recente da Justiça Eleitoral, o processo de Biometria já identificou 25 mil títulos duplicados ou múltiplos entre os cerca de 64 milhões de eleitores brasileiros. Somente um cidadão goiano possuía 52 títulos eleitorais.
Em Piracicaba, contudo, até agora não foi detectado nenhum caso de duplicação de título de eleitor por fraude ou falsidade ideológica, informa José Antônio Capelli, chefe do Cartório da 93ª Zona Eleitoral (ZE).
“O que tivemos em Piracicaba foram três ou quatro casos de coincidência de digitais, ou seja, de pessoas que apresentaram digitais iguais de dois ou três dedos. Nesses casos, fizemos novas coletas das digitais dos 10 dedos. Mas nenhum deles era caso de duplicidade ou fraude”, diz Capelli.
Zonas remanejadas
As mudanças anunciadas em Zonas Eleitorais de todo o Estado de São Paulo - por meio da resolução 413/2017 do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE), de 17 de agosto - afetarão cerca de 150 mil eleitores de Piracicaba, estima Capelli.
Cerca de 40 mil eleitores inscritos nas duas zonas eleitorais de Piracicaba serão transferidos para a 244ª Zona Eleitoral - que embora esteja instalada em Piracicaba reunia apenas eleitores de Charqueada (SP) e Rio das Pedras (SP). E outros 110 mil eleitores também serão afetados com a medida por causa de redimensionamentos das áreas geográficas das três ZEs.
“Ainda não sabemos exatamente como essa transferência será feita, o TRE vai implementar essa mudança a partir da segunda quinzena de outubro. Quer dizer, por hora recomendamos que as pessoas ainda não procurem os cartórios para fazer essa troca, primeiro porque ainda não sabemos como será feita e segundo porque para a próxima eleição, em 2018, o cidadão vai continuar votando normalmente, na mesma escola que já está acostumado”, salienta Capelli.