EVENTO NO SEBRAE
Mercado começa a reagir e tema será apresentado
Para presidente do Creci-SP, Viana Neto, o momento é de pechinchar

Por José Ricardo Ferreira

O presidente do Creci-SP, Viana Neto, diz que o mercado está voltando a respirar

Crédito: Del Rodrigues

O presidente do Creci-SP, Viana Neto, diz que o mercado está voltando a respirar

Quarta-feira, 11 de outubro de 2017
O mercado imobiliário está reagindo. A constatação é do presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), José Augusto Viana Neto, que estará em Piracicaba nesta quarta-feira (11), às 19 horas, reunindo corretores membros de Comissões e Grupos de Trabalho do Conselho. O evento será realizado na unidade do Sebrae-SP, localizada à avenida Rui Barbosa, 132, no bairro Vila Rezende.
Os assuntos em pauta serão o balanço das negociações de venda e locação de imóveis no Interior do Estado, as perspectivas do setor imobiliário para os próximos meses e sobre a obrigatoriedade dos Cartórios de comunicar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) a ocorrência de situações que possam caracterizar ocultação de bens e lavagem de dinheiro no registro de imóveis.
Viana disse, nesta terça-feira (10), que um dos termômetros que provam que o mercado imobiliário está reagindo é o volume de financiamentos via Caixa Econômica Federal. De acordo com ele, a Caixa interrompeu momentaneamente os financiamentos, pois em setembro o volume de recursos para isso já havia se esgotado. Isso significa, disse Viana, que o emprego formal está sendo retomado porque somente com carteira assinada é possível financiar casa própria.
O presidente do Creci-SP afirmou que Piracicaba se destaca como um polo do mercado imobiliário do Estado. "Tem potencial para estar entre os municípios líderes na retomado do mercado imobiliário", afirmou. Viana esteve essa semana em Franca, Ribeirão Preto e São Carlos. Nesta quarta-feira, além de Piracicaba, estará em Rio Claro.
Os financiamentos bancários no Interior responderam por 46,01% das vendas. E 47,79% dos negócios foram feitos à vista, segundo o Creci-SP. O perfil preferido de imóveis negociados concentrou-se no Centro da cidade, em imóveis de três dormitórios, com 39,82% do total vendido.
De acordo com ele, o preço médio dos imóveis para compra no interior está em cerca de R$ 230 mil. O metro quadrado do imóvel residencial está entre R$ 4 mil e 4,5 mil. Na capital, salta para R$ 6,8 mil.
Ainda segundo Viana, a maioria das vendas no Interior está sendo dirigida ao programa 'Minha Casa, Minha Vida 2 e 3'. Nesse segmento, os valores variam entre R$ 110 mil e R$ 230 mil. No quadro de imóveis usados, o valor médio é de R$ 300 mil. O presidente do Creci-SP aconselha a não deixar o dinheiro descansando.
O momento é de investir em imóvel, pois com a retomada do mercado, após meses de crise econômica acentuada, a tendência é que os valores subam de forma consistente a partir desse final de ano e começo de 2018.
"A pessoa que deseja comprar um imóvel, não perca tempo. Faça negócio. O mercado vai retomar a alteração de preços. Não menospreze essa tendência. O mercado vai responder de forma forte no preço final", declarou. Viana lembra a importância da pechincha na hora da compra, principalmente à vista. São comuns os descontos de 8%, 9% e até 15%", afirmou. E não é somente as vendas que estão reagindo sendo que a faixa de aluguel mais procurada é de R$ 800,00.