EM PIRACICABA
Governador tem agenda diversificada
Vereadores solicitaram ao governador mais verba para a Saúde

Por Marcelo Rocha

Diretor da Esalq e Alckmin, na Esalq

Crédito: Del Rodrigues

Diretor da Esalq e Alckmin, na Esalq

Quarta-feira, 11 de outubro de 2017
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), esteve em Piracicaba, nesta terça-feira (10), para participar da abertura da primeira edição da 'EsalqShow - Feira de Inovação e Empreendedorismo do Setor Agrícola'. Após o cerimonial, no qual enalteceu a importância do Agronegócio brasileiro e da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), o governador paulista foi questionado por vereadores locais e pelo prefeito Barjas Negri (PSDB) se poderia intervir para solucionar a situação da Saúde do município, especialmente a suspensão das cirurgias eletivas pela Santa Casa de Piracicaba, em razão de dívida da Prefeitura com a instituição.
“É uma grande alegria participar aqui da abertura da 'EsalqShow', que traz inovação e o que há mais moderno em termos de Biotecnologia. Serão dois dias de feira. É preciso destacar que, hoje, o Agronegócio é a base do desenvolvimento brasileiro, é quem puxa a inovação, o Emprego, a Exportação, a Balança Comercial. É fundamental para o grande projeto do Brasil”, declarou Alckmin.
O governador relatou que sua primeira vinda a Piracicaba ocorreu quando ainda era um colegial. “Fiquei impressionando com a escola (Esalq) e essa impressão se renova a cada vez que aqui nós voltamos”, disse.
Em sua fala, o diretor da Esalq, Luiz Gustavo Nussio, salientou que a Esalq “constrói todos os dias a sua reputação por meio de seus alunos”. “São essas as pessoas que, no dia a dia, no exercício de sua profissão, constroem o legado de Luiz de Queiroz”, falou. A 'EsalqShow', acrescentou Nussio, é a chance de “promover uma grande aliança, olhando à frente”. “Não é uma Feira comercial, foi estudada para ser inédita e para lançar inovações e discutir ideias”, explicou.
Na coletiva de imprensa, o governador tucano foi indagado sobre a troca de farpas entre o prefeito de São Paulo, João Doria, e Alberto Goldman, vice-presidente do PSDD. “Deixa que eles vão se entender”, desconversou. Perguntado de qual lado da briga se posicionaria, e se a Capital estaria sem um prefeito, apenas com um candidato à presidência, Alckmin se esquivou. “Vamos sair do tema”, pediu.
Além do governador e do chefe do Executivo local, o evento teve as presenças de três secretários de Estado (Arnaldo Jardim, da Agricultura; Maurício Brusadin, do Meio Ambiente; José Luis Ribeiro, de Emprego) e do deputado estadual Roberto Morais (PPS), além de lideranças setoriais, empresários, representantes de órgãos públicos e do meio acadêmico.
Cátedra
Ainda nesta terça-feira, houve a solenidade de instalação e posse do primeiro titular da Cátedra Luiz de Queiroz, o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues, para o biênio 2017/2018. “A cátedra pretende criar uma avenida de circulação facilitada pelo setor produtivo e pela academia, para isso precisávamos de um articulista, alguém que tivesse trânsito, que pudesse conversar, no Brasil e no exterior, com todos os setores envolvidos”, contou Nussio, justificando a nomeação de Rodrigues, engenheiro agrônomo formado pela Esalq na turma de 1965.
“O Roberto Rodrigues tem uma inteligência fulgurante e uma visão de conjunto extraordinária, tem espírito público”, elogiou Alckmin, antes de reiterar um conceito defendido minutos antes por Rodrigues. “A Agricultura gera empregos nas cidades, na Indústria automotiva, tratores, caminhões, ferrovia, Serviços, Logística, adubo, Indústria Química, fertilizantes e muita Tecnologia”, listou o governador.
A 'EsalqShow' integra a Semana Luiz de Queiroz 2017 e prossegue até esta quarta-feira (11), com a realização de um painel sobre Agricultura Digital, palestras, mesa-redondas e debates sobre temas como Bioeconomia, integração, lavoura pecuária e floresta (ILPF), produção animal, Biotecnologia, controle biológico de pragas e doenças e Agricultura de precisão. O evento é realizado pela Esalq/USP e pela Araiby Agronegócios.
Mais dinheiro para a Saúde local
Doze vereadores de Piracicaba abordaram Geraldo Alckmin para pedir mais verbas para a saúde e relatar a suspensão das cirurgias eletivas (via SUS) realizadas na Santa Casa. O prefeito Barjas Negri e o deputado estadual Roberto Morais acompanharam a reivindicação.
“Todas as Santas Casas vivem dificuldades, porque a tabela do SUS precisa ser corrigida. Vou conversar ainda hoje com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para ao menos elevar o teto, que já está pedido há dois anos. Aí traz mais R$ 9,8 milhões por ano para a Santa Casa”, disse Alckmin.
Segundo o governador, São Paulo é o único estado que repassa recurso para custeio do SUS. “A gente criou o Santa Casa Sustentável, repassamos R$ 850 mil todo mês para a Santa Casa de Piracicaba, ou perto de R$ 10 milhões ao ano, e para o Hospital dos Fornecedores de Cana, perto de R$ 7 milhões por ano”, disse.
Terreno é oficialmente doado
O terreno de 208 mil metros quadrados, onde há 50 anos está instalada a Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba (Fumep), foi oficialmente doado pelo Estado de São Paulo à cidade. 
“Estamos transferindo em caráter definitivo essa área de 208 mil metros quadrados para a Fumep”, disse o governador Alckmin, após assinar a autorização da posse da área, no bairro Areão. Segundo Wilson Tietz, presidente do Conselho Curador da Fumep, “essa é uma luta antiga, desde a criação da instituição de Ensino, em 1967”.
“Há anos estamos pleiteando a regularização da área, que agora, finalmente, será escriturada em nome da Fumep. É uma luta que envolveu muita gente, muitos trabalharam por isso. É um prêmio pelos 50 anos da escola”, definiu Tietz.