Renata Passos
Pai herói?!?!

Por Renata Passos

Renata Passos

Crédito: Divulgação

Renata Passos

Calma, pode seguir lendo e ficar tranquilo que eu não vou escrever sobre a música do Fábio Júnior. Pelo menos não no início!
Se olharmos com carinho e cuidado para a história da nossa civilização, em todos os tempos os pais sustentaram os títulos de heróis.
Saíam para os campos e aravam a terra.
Saíam para os campos de batalha
Seguiam para a guerra das competições por cargos e posições melhores.
E segundo alguns, ainda seguem "matando um leão por dia".
Na nossa imaginação, história real ou fantasia, eles, os pais, sempre saíam bravamente para garantir o sustento, a provisão, o conforto e a segurança de toda a família.
Quando chegavam, precisavam descansar. Aquela imagem que a mídia nos vendeu de um homem sentado após um longo dia de trabalho, só fazendo pedidos para sua esposa, que havia ficado em casa cuidando das "coisas do lar" ainda seguem em algum lugar de nossa memória.
Enquanto eles saíam para resolver os problemas mais complexos e trazer o sustento, ela, a mãe e esposa, ficava com os afazeres. Quando lhe perguntavam a ocupação, ela respondia sempre encabulada falando que não fazia nada. Que era do lar. Afazeres domésticos!
Ao pai o heroísmo da batalha. A ela, os afazeres do dia a dia!
O mundo mudou e pela graça de Deus, as dificuldades e as mudanças do mundo quase que exterminaram os heróis.
Eles seguem cada vez mais firmes nas séries, livros de ficção, filmes... Mas hoje temos PAIS DE VERDADE!
Pais que buscam filhos na escola.
Que participam de reuniões.
Que trocam fraldas.
Que fazem comida.
Que não se envergonham de usar camisa cor de rosa.
Que dividem tarefas.
Que choram.
Que pedem ajuda.
Que estendem a mão.
Que tratam suas esposas como esposas.
Que as amam pelo que são e não pelo que fazem!
Que brincam de boneca com suas filhas.
Que se deixam pintar.
Que viram cavalo de montaria.
Que não se importam em ser enterrados na areia.
E fazer compras no supermercado.
Em fazer coisas que antigamente eram destinadas somente às mulheres.
Homens de coragem. Que admitiram suas imperfeições. Suas incoerências.
Suas fragilidades.
Que se deixam ver
Deixam-se cuidar.
Sentam no banco do passageiro, mesmo que insistam em dizer o caminho.
Que deixam o controle remoto com qualquer um da família.
Que assistem uma série que não tem o menor interesse só pra partilhar um momento de família!
Por um mundo com mais homens assim: normais e frágeis como DEUS os criou.
Sem todas as respostas.
Sem super poderes.
Sem poderes para resolverem tudo.
Sem serem salvadores do mundo.
Um mundo só com homens simples que decidiram viver uma vida compartilhada.
Que decidiram viver na plenitude o papel que poderiam receber do autor de toda a história: o privilégio único de ser o líder mais importante e influente que um filho poderá ter.
Pode ser que hoje, neste dia você não tenha um marido assim. Está tudo bem!
Pode ser que hoje neste dia dos pais, você não tenha o seu ao seu lado para celebrar. Tudo bem também.
Pode ser ainda que seu pai não tenha sido o maior ou melhor exemplo pra você e passou anos luz de distância do que qualquer coisa que eu possa ter escrito. Mas posso te garantir, está tudo bem.
Sabe por quê?
Todos nós, independe de raça, crença, nação ou se tivemos ou não pais, hoje podemos celebrar: temos um só Pai que olha por nós.
Mesmo que para você Ele não seja um herói!
Herói de verdade é o que é, independente de quem crê Nele!
Simples assim, só isso e um feliz dia dos Pais pra você!
Viu? Consegui escrever o texto todo sem falar daquela música...