NA COSTA RICA
Piracicabano representará o País no Pan
Professor de Kung Fu vende pizzas para custear viagens

Por José Ricardo Ferreira

Davanzo durante exibição: ele está confiante que trará um ouro para o país

Crédito: Sivia Mortais/Divulgação

Davanzo durante exibição: ele está confiante que trará um ouro para o país

O lutador de kung fu, Everton Davanzo, 25 anos de idade, será um dos brasileiros que representará o País no Pan-Americano da modalidade, que acontecerá a partir de 9 de agosto, na Costa Rica, e no Mundial da China, em novembro. Piracicabano, ele pratica essa arte marcial desde a infância. Formado em Educação Física, é professor faixa preta de kung fu shaolin.
Como na maioria das vezes, praticantes de Esportes amadores sempre têm dificuldades para se manter. Davanzo disse que precisa fazer rifas de pizzas para ajudar na contabilidade de gastos para participar do Pan.
“Consegui R$ 8 mil para a viagem com ajudas e vendendo pizzas. Agora já penso nas rifas para conseguir dinheiro para o mundial”, disse o lutador que faz parte da seleção brasileira. “Estou procurando parcerias com empresas. A viagem à China ficará em cerca de R$ 13 mil”, disse ele.
Davanzo dá aulas e treina três vezes por semana. Ele contou que pratica desde os 13 anos de idade o Kung Fu. “Comecei a praticar e gostei. Admiro muito as artes marciais. Eu tinha bronquite e respirava com dificuldades. Hoje estou curado. E além do mais, as artes marciais ajudam no controle emocional. É um a filosofia de vida”, disse.
Ele disse que as vagas na seleção foram obtidas ainda no ano passado em competições internacionais. Em 2016, por exemplo, foi medalha de bronze no Sul-americano da Argentina e quinto lugar no Campeonato Brasileiro realizado em Brasília (DF). Davanzo é treinado pelo professor César Alves da Silva. “Estou confiante em obter o ouro no Pan. Argentina e Peru serão nossos grandes adversários”, disse ele.