FÉ E DEVOÇÃO
Tapetes mantêm a tradição religiosa
Milhares de fiéis participaram das missas e a seguir, foram às ruas

Por José Ricardo Ferreira

O ritual religioso e a beleza dos tapetes foram a tônica desta quinta-feira

Crédito: Del Rodrigues

O ritual religioso e a beleza dos tapetes foram a tônica desta quinta-feira

O ritual católico das procissões de Corpus Christi se repetiu em inúmeras paróquias na cidade, nesta quinta-feira (15). Milhares de fiéis participaram das missas e, em seguida, saíram pelas ruas próximas às suas igrejas. No chão, muita criatividade na decoração dos tapetes para a procissão do Corpo do Senhor Jesus presente no Santíssimo Sacramento, conforme descrição católica.
A montagem dos tapetes começou durante a madrugada e foram utilizados materiais como sal grosso tingido, borra de café e serragem. Algumas paróquias substituíram esses materiais por cobertores que serão doados nos próximos dias.
O bispo diocesano Dom Fernando Mason presidiu a celebração eucarística na Estação da Paulista às 15 horas desta quinta-feira. Logo em seguida houve uma missa que foi concelebrada por vários sacerdotes da Região Pastoral Piracicaba 1. Logo após, aconteceu a procissão sem o tradicional tapete até a Catedral Santo Antônio seguida de bênção
Entre as paróquias de Piracicaba que montaram tapetes tradicionais, nesta quinta-feira, estavam a Imaculado Coração de Maria (Pauliceia), Imaculada Conceição (Vila Rezende), Santa Cruz e São Dimas (São Dimas) e Santa Clara (Cecap). Parte delas realizou a solenidade religiosa, pela manhã, e a outra parte, no final da tarde.
Duas paróquias de Piracicaba usaram cobertores para a montagem dos tapetes: Nossa Senhora Aparecida (Piracicamirim) e Santa Catarina (Nova América). Todas as paróquias da Diocese promoveram celebrações e procissões. O tempo firme ajudou e nenhuma precisou cancelar seus eventos religiosos.
Na Imaculada Conceição, localizada no bairro Vila Rezende, a procissão começou às 17 horas tendo, à frente, o padre Paulo Roberto Saraiva de Brito. Estima-se que pelo menos mil pessoas participaram da celebração. Agentes da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes) auxiliaram na organização do trânsito durante o evento.
O tapete foi estendido em duas ruas. Um em frente à Matriz, na rua Dona Lídia e o outro na quarteirão atrás da igreja, na rua Monsenhor Cecílio Cury. A caminhada dos fiéis foi curta em um percurso de quatro quarteirões em volta do templo: ruas Dona Lídia, Manoel Conceição, Cecílio Cury e avenida Barão de Serra Negra e Dona Lídia novamente. Após a procissão, o público retornou à Matriz.
O padre Paulo Brito discursou durante a procissão. Em suas palavras afirmou que o ser humano precisa se voltar mais aos ensinamentos de Cristo. “A fome pelo dinheiro, pelo poder e pelas posições na sociedade tiram a humildade de encontrar a Jesus. O dia de hoje (quinta-feira) nos leva a procurar os caminhos de Jesus”, falou.
Fiéis
As aposentadas Janice Gomes e Nair Bolastre acompanharam a procissão. Para elas, esse ritual é uma forma de a fé renascer mais forte entre os católicos. Janice lembrou um pouco das histórias sobre o significado do tapete. Nair contou que ter religiosidade ajuda a manter a harmonia entre as pessoas. “Mantém a família unida, os filhos, os netos. Minha família é assim”, disse.
Para o desenhista Fábio Saraiva, os tapetes são lindos. “Mostra o quanto as pessoas são criativas e motivadas pela fé”, afirmou.