Renata Passos
Mães inspiradoras: Onde estão? O que fazem? O que falam?

Por Renata Passos

Renata Passos

Crédito: Divulgação

Renata Passos

Mães inspiradoras: Onde estão? O que fazem? O que falam?
Escrever mães e inspiração é quase repetir a mesma palavra.
O significado de inspiração vai desde o ar que entra pelos pulmões até alguém que a gente percebe, sofre influência e segue o exemplo.
Para a inspiração acontecer ela demanda um sujeito. Alguém que desperte no outro a vontade de criar ou realizar algo. Alguém que infunde sentimento e emoção.
Mães são assim. Mesmo sem perceber são fontes intermináveis de inspiração.
Pelo que são. Pelo que fazem.
Pelo que demonstram sentir.
Pelo que conseguem se reinventar em cada situação.
Pelos malabarismos que se permitem fazer.
Pelas dores que não hesita em se apropriar.
Pelos braços abertos pra proteger.
Pela mão sempre pronta pra ajudar.
Pelo ombro e pelo colo sempre disponível pra receber.
Cada uma da sua forma.
Cada uma a seu modo.
Cada uma com sua leveza ou mão pesada.
Cada uma com sua maneira única de demonstrar, inspirar e exalar amor.
Até quando são duras.
Até quando castigam.
Inclusive quando oferecem limites.
Limites doem mais nas mães que nos filhos.
Os puxões de orelhas queimam mais os nossos ouvidos.
Os 'Nãos' são mais - muito mais - difíceis de serem falados do que de serem obedecidos.
Mães inspiram porque querem fazer o melhor.
Querem dar o melhor.
O seu, o do outro, querem dar tudo o que muitas vezes nem tiveram.
Sabem que isso pode até não ser o certo a fazer, mas seguem fazendo.
Pra não deixar sofrer, sofrem.
Na tentativa de guardar, desprotegem.
Na tentativa de ajudar, desencorajam.
Na tentativa de acertar erram.
Na tentativa de apreciar, elogiam além do ponto.
Sim, somos estas mães.
Dispostas a tudo para acertar, mas com uma mão igualmente incrível pra errar.
Erramos na tentativa de acertar.
Na vontade de acolher ao invés de empurrar.
Na ânsia de abraçar ao invés de repreender.
Ficamos confusas.
Quanto deixar? Como deixar? Com quem?
Olhamos pra outras mães que nos inspiram, na tentativa de ouvirmos repostas. Ao se aproximar destas mães, percebemos que elas se fazem as mesmas perguntas.
Estão diante dos mesmos desafios. Tem as mesmas dúvidas. As mesmas aflições. O mesmo motivo que tira nosso sono. O mesmo motivo que rouba a paz muitas vezes de nosso coração!
E ao nos depararmos com estas mães, as mães de verdade, de carne osso, que têm mais dúvidas que certezas. Que dizem não saber. Que não têm filhos perfeitos. Que não são perfeitas. Que admitem seus erros em público pra quem quiser ouvir. Que não dizem que sabem tudo. Que sabem e reconhecem as fraquezas de seus filhos e que não os coloca em um pedestal de adoração, nos deparamos com mães realmente inspiradoras.
Porque não existe nada mais inspirador e que traga novo fôlego para uma mãe do que perceber que sua família é normal.
Que ela não está fazendo nada errado.
Que a culpa do sucesso ou do fracasso dos filhos em qualquer área da vida deles não é dela, mas escolha deles.
Que ela pode até falhar, mas está tentando acertar o caminho.
Que todas as tentativas serão válidas.
Que tudo o que faz ou que já fez de certo ou de errado na sua visão, contribuirá para a construção do caráter do filho.
O caráter de nossos filhos não será determinado pelo tanto de coisas certas que fizemos, mas por tudo que eles nos viram tentando fazer.
Inclusive quando nós não conseguimos.
Incluindo nossos fracassos, nossas imperfeições e toda a nossa coragem em admitir que sim, somos mães, mas não somos perfeitas.
Muito menos poderosas.
Somos sim, somente mães. Com todo o amor que recebemos para dar. Com todo o nosso ser, com tudo o que somos. Com todas as nossas verdades. Com toda nossa essência!
O que pode inspirar mais que a verdade?
A dor e a delícia de ser quem somos.
Simples Assim, só isso e mais nada!
Desejo um dia das Mães maravilhoso pra você!
Curta e siga nossa página no Facebook e Instagram: Coach Renata Passos.