FESTA MÓVEL
Balada sobre rodas é nova opção de entretenimento
Ônibus-boate e limousine 'tunada' viraram opção para festas

Por Marcelo Rocha

Matheus Camargo (esq) organizou uma festa surpresa sobre rodas para o amigo, Vinícius

Crédito: Del Rodrigues

Matheus Camargo (esq) organizou uma festa surpresa sobre rodas para o amigo, Vinícius

DJ mandando ver música eletrônica alta e pulsante, raio laser, globo espelhado, telão exibindo clipes, casaizinhos se pegando, bebidas energéticas que reluzem em copos coloridos, grupinhos dançando, gente entrando e saindo do banheiro, corpos se esbarrando num conhecido vai vem hedonista. Parece uma danceteria, mas não é. Pelo menos não uma convencional.
É um “busão” transformado em casa noturna, que circula por Piracicaba celebrando aniversários e outras ocasiões. Na região, outra opção semelhante de entretenimento é uma sofisticada limousine onde rolam festas de crianças, despedidas de solteiro e outras confraternizações.
São os tempos das baladas ambulantes. O negócio de entretenimento sobre rodas já é bem difundido em grandes capitais e no Exterior. Mas por aqui ainda é uma quase novidade. O Moving Bus Party foi construído sobre o chassi e a carcaça de um ônibus coletivo, comprado de uma empresa particular.
Cheio de convidados, roda pelas ruas a uma velocidade de 10 quilômetros por hora, “para a galera conseguir ficar em pé”, diz Alexandre Camolesi, 42 anos de idade, dono da danceteria móvel que, segundo ele, envolveu um investimento de R$ 450 mil. Criado há cerca de um ano, o ônibus boate comporta cerca de 50 passageiros e percorre vias/pontos movimentados de Piracicaba como as avenidas Carlos Botelho, Saldanha Marinho e Independência.
Mas também pode ser usado em eventos corporativos, festas infantis, formaturas, chá bares ou como lounge. Inclusive, o roqueiro João Gordo já usou o espaço como camarim num evento de tatuagem, realizado na cidade. Geralmente, quem contrata o serviço para baladas quer ser visto, conta Camolesi.
Por isso mesmo, o insulfilm – que, a princípio, garantiria maior privacidade aos passageiros - foi convenientemente retirado de duas janelas (uma de cada lado do veículo), justamente para que os baladeiros fossem identificados no interior do coletivo tunado.
E o batidão techno, que extrapola os vidros do ônibus, ajuda a chamar a atenção de quem está nas ruas. “O povo de fora interage com o pessoal de dentro”, diz o proprietário, que afirma ter clientes de todas as faixas etárias, “de oito a 65 anos”.
A boate sobre rodas tem dois banheiros (masculino e feminino), sistema de som digital, luzes, ar-condicionado central, TV de 50 polegadas, cabine com DJ, bar, assentos laterais, dois jogos de mesas, suporte para copos e outros equipamentos para os visitantes.
Os pacotes são vendidos por hora, sendo que o mínimo é de duas horas. Vão desde o básico que custa R$ 1,6 mil (que inclui o motorista, DJ, barman e dão direito a água e refrigerante) até o pacote “open bar” de quatro horas a R$ 3,2 mil, com cerveja, vodka, energético, suco e um copo personalizado para cada convidado. Em todas as opções, um bolo cenográfico é disponibilizado para o “parabéns a você”. E o cliente pode escolher sua trilha sonora.
A Gazeta acompanhou um trecho de uma festa surpresa, organizada por Matheus Pilleggi Camargo, 18 anos de idade, para o amigo Vinícius Bortolin Cesar, 18 anos de idade, que acabara de retornar de um intercâmbio de seis meses no Exterior. A balada reuniu cerca de 30 jovens da turma.
“O barato de fazer uma festa ambulante é que não existe aquela desculpa de que a festa é longe de casa, ou que não há meio de locomoção até o evento, já que ele pode buscá-lo em sua localização”, observa Camargo. “Quando cheguei em Piracicaba os amigos já estavam lá dentro do ônibus, foi uma surpresa superlegal”, relata Cesar. “É uma balada interessante, organizada e diferente. E nem parece que o ônibus está andando, não senti nada nas freadas”, garante César.
Limousine
Para quem prefere sofisticação, intimidade e luxo, uma opção é a locação de limousines. Há cerca de um ano o empresário paulistano Leandro Santos, 36 anos de idade, veio para Águas de São Pedro e investiu no diferenciado negócio dos veículos longos.
Embora o carro-chefe do empreendimento seja o traslado de noivas - desde o salão de beleza, passando pela igreja até o bufê de festas -, suas duas limousines (uma branca e uma preta) também sediam festas de crianças, de debutantes, da Terceira Idade, despedidas de solteiro e outras baladas em cidades da região.
Por exemplo, uma balada de duas horas dentro da limousine sai por R$ 1,3 mil. “Normalmente é o tempo que as pessoas ficam, duas ou três horas. Quatro horas é exagerado, ninguém consegue ficar dentro de um carro”, declara Santos. “Esse valor inclui uma champanhe espumante, refrigerantes, água, bombons e chocolates. E se o cliente quiser, pode levar outas bebidas e petiscos de sua escolha”, afirma o dono da Limo Park.
Festas infantis comportam até 10 crianças dentro da limousine. Mas se for uma balada de marmanjos, aí cabem oito pessoas. No interior da limousine sedam de luxo (modelo Chrysler 300 C) tem raio laser, lâmpadas lead, máquina de fumaça, um bar lateral, sistema de som e de vídeo - são cinco monitores, sendo um de 32 polegadas (retrátil, que funciona como divisória entre o motorista e os passageiros) e quatro de nove polegadas.
O veículo possui dois bancos, um no fundo para três pessoas e outro comprido na lateral. Cada limousine está avaliada em R$ 400 mil, estima Santos. “É um modelo atual, igual aos usados em Las Vegas”, compara.